Rui Vitória e a Luz ao fundo do túnel

 

Assistimos a mais um desaire na passada quarta-feira e parece que, desta vez, a paciência do Terceiro Anel se esgotou definitivamente para com Rui Vitória. Não me recordo de alguma vez ter visto tamanha contestação para com um treinador desde que acompanho o Sport Lisboa e Benfica.

A contestação não é de admirar pois Rui Vitória parece estar a fazer a sua própria cama. Se não nos podemos esquecer de que o principal culpado de tudo isto é Luís Filipe Vieira, o que é facto é que o treinador do SL Benfica parece ultimamente andar a brincar com o seu próprio destino, seja através de frases feitas cheias de trivialidades, seja nas suas escolhas de jogo para jogo. Rui Vitória está completamente desnorteado e só mesmo uma tremenda falta de noção é que não o faz engolir o orgulho, admitir que está a mais e colocar o lugar à disposição.

Eu não quero (nem preciso de) enganar ninguém. Em tempos, fui apoiante de Rui Vitória e não tenho qualquer pejo em admiti-lo. No entanto, no final da temporada de 2016/2017, que culminou com o Tetracampeonato, percebi que o ciclo teria terminado. Sempre lhe reconheci limitações ao nível do treino, mas, pela sua postura e pelo facto de estar num Clube que proporciona aos seus colaboradores todas e as melhores condições para uma progressão e evolução a nível pessoal, acreditava que poderia dar o salto e melhorar de época para época. Enganei-me, deixei-me continuar a enganar e Rui Vitória revelou-se uma tremenda desilusão, pois, até em relação à tal postura, parece deixar muito a desejar. A constante vitimização e conversa de “coitadinho” não dá com nada. Com todo o respeito que um treinador do SL Benfica merece, a mim pouco me importa se é pai e chefe de família. Eu quero é que seja competente, acima de tudo. O que começou por ser uma ligação marcada pela elevação e respeito de Rui Vitória para com o nome do clube que representa, está hoje em dia desfeito; a cada jogo que passa, a cada desaire que sofremos, o treinador do SL Benfica faz questão de desvalorizar tudo e mais alguma coisa, atribuindo as culpas à falta de sorte e/ou eficácia, desculpando-se com o facto de ter terminado com mais remates que a equipa adversária, ou mesmo – pasme-se! – justificando que “a bola não entrou na baliza quase que por magia”. Rui Vitória é treinador de futebol desde 2002/2003 e ainda não percebeu que no futebol não há “magias”, sendo que o mais importante é o trabalho no campo de treinos.

Rui Vitória mostra não ter quaisquer ideias para dar a volta à pessima situação que o SL Benfica atravessa
Fonte: SL Benfica

Pegando no trabalho realizado, não podemos olhar somente para os números e títulos ganhos para avaliar Rui Vitória. Num clube como o SL Benfica – onde deveria haver exigência máxima –, não deveríamos ficar-nos pela bola que entra e que faz valer um título.  É totalmente errado deixarmos um jogo entregue ao acaso e à inspiração individual do jogador, pois a qualquer momento a bola pode deixar de entrar. É aqui que o trabalho da equipa técnica do SL Benfica tem sido totalmente inexistente. De época para época, temos vindo a assistir a uma redução drástica da qualidade de jogo da equipa, e isso é completamente inaceitável. Após o investimento feito para esta temporada, é inconcebível que a equipa consiga jogar ainda pior do que na temporada passada! Nota-se a total insuficiência de Rui Vitória e tal facto faz-nos entender que os números valem o que valem e em nada definem a sua qualidade como treinador.

A proposta de jogo que tem vindo a ser apresentada é uma autêntica vergonha e um atentado à história gloriosa do SL Benfica. Cada vez está mais evidente o tal “cunho pessoal” que Rui Vitória queria incluir na forma de jogar da equipa; neste momento, a equipa vive um autêntico deserto de ideias e, quando apertada, limita o seu jogo ao pontapé na frente, em busca de duelos físicos e segundas bolas que possam fazê—la aproximar-se da baliza adversária. Dos jogos que vou vendo, desde o futebol profissional, passando pela formação e terminando nas divisões inferiores, posso dizer que existem equipas do campeonato distrital com modelos de jogo bem mais trabalhados e elaborados do que aquele que é mostrado semanalmente por Rui Vitória. Sem palavras em relação a isto.

A cada dia que passa vai-se adiando o inevitável e nem assim o treinador do SL Benfica parece preocupar-se com a imagem que está a passar cá para fora. Neste momento, nem o SL Benfica ganha algo com a sua presença, nem ele ganha algo com a sua presença no SL Benfica. Rui Vitória está no fim da linha: poderá não passar deste fim-de-semana. A imagem de um homem totalmente perdido irá acompanhá-lo durante muitos anos, podendo até afetar a sua carreira a curto/médio prazo. A única forma de mostrar algum amor próprio seria demitir-se antes de ser demitido. Lamentalvelmente, parece que será o contrário a acontecer.

Foto de Capa: SL Benfica

Revisto por: Mariana Coelho

Comentários

Artigo anteriorHerói do mar
Próximo artigoSporting campeão europeu? Ou vai ou racha!
Alfacinha de gema e Benfiquista por natureza, Bruno é um obcecado por Futebol e foi através da escrita que encontrou a melhor forma de dar a conhecer essa sua paixão pelo desporto-rei. É capaz de estar desde Segunda-feira até Domingo à noite a ver todos os jogos que passam na TV. Terá sido em pequeno que toda esta loucura futebolística foi despertada pelo seu Pai e pelo seu tio que, respetivamente, o levavam ao Estádio do Restelo e ao Estádio da Luz. Bruno não suporta facciosismos e tenta sempre ser o mais crítico possível para com o seu clube.                                                                                                                                                 O Bruno não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.