logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

Gonçalo Ramos seleção SL Benfica

Seleção no vermelho: Um renúncia, o outro fica na bancada

Benfica

Entre opiniões construtivas, parvoíces e alguns factos, muito se falou da renúncia de Rafa à seleção nacional, – que já agora, na minha opinião, pecou apenas pelo timing – colocando o jogador encarnado no papel de patinho feio no seio de um conjunto de jogadores que supostamente representam o que há de melhor no futebol português. Queria reforçar o “supostamente”.

Rafa era visto como alguém que tinha falta de compromisso quando representava as cores do seu país. Esta notícia surgiu no final do ano passado, e para mim, teria sido essa também a altura perfeita para abandonar o grupo comandado por Fernando Santos. Guardou-o para agora, talvez devido a conversas que tenham durado este tempo todo, mas saiu antes da convocatória do campeonato do mundo.

SL Benfica Rafa
Fonte: Zito Delgado/ Bola na Rede

Rafa Silva mostrou não ter espírito para fazer parte de um grupo que na sua opinião não funciona como deveria, e pasme-se, não será o único a pensar assim. Cometer uma gaffe de vez em quando, acontece a todos, uma teimosia aqui ou ali, também. Um esquecimento, é possível vá, agora tudo isto numa só convocatória, é demais. O engenheiro eletrónico dispensou Pepe por lesão, não chamando nenhum outro central para o seu lugar, e ficando assim com falta de homens no centro da defesa, preferiu depois apostar num médio adaptado. António Silva provavelmente joga basquetebol. Só relembrar que o selecionador nacional tinha o defesa central Tiago Djaló no banco para render Danilo, mas como o mesmo admitiu, esqueceu-se.

No meio disto tudo, o engenheiro convocou Gonçalo Ramos, aquando a recusa de Rafa para integrar os trabalhos da seleção, deixando-o depois na bancada – o banco estaria porventura cheio – quando Portugal não dispunha de um, pelo menos um ponta-de-lança de raiz, que de resto teria dado jeito à equipa das quinas no jogo que acabou por perder com a seleção espanhola. Porquê a chamada de Ramos? Para manter a percentagem de jogadores benfiquistas na seleção? Para inglês ver? Só o engenheiro saberá. Mas mandar o ponta de lança português em melhor forma atualmente, como provam os oito golos marcados em 13 jogos, para a bancada, é o culminar de uma semana esquisita, mas sintomática de que o tempo do lisboeta que já treinou os três grandes, terá terminado na seleção. O problema é que ele ainda não o sabe e quem manda nele parece ter esquecido.

O Benfica já há algum tempo que não tinha representantes na seleção nacional portuguesa. Nesta convocatória voltou a ter, mas de pouco ou nada serviu. Como já sabemos, Rafa renunciou a um grupo, na sua ótica (e não só na sua) com muitos grupinhos, passo o pleonasmo. Gonçalo Ramos, é convocado para substituir Rafa, mas é enviado para a bancada. Os seus oito golos esta temporada, não entram para requisito para poder ganhar a internacionalização. E o sobrevivente João Mário, que até entra em jogo, é colocado numa das alas, onde Portugal precisava de velocidade, e para onde Portugal até tem soluções melhores no banco.

Para terminar este meu artigo em forma de desabafo, queria falar de outro elemento benfiquista da seleção nacional, António Silva. Sim, eu sei que nunca foi convocado, mas é já um elemento da seleção nacional. A questão é que parece que Fernando Santos, ao contrário do seu congénere espanhol, tem medo de alterar a equipa. Como se os lugares fossem cativos. Vamos ver se até ao mundial, alguém próximo ao senhor Fernando lhe dá uns conselhos construtivos, se algumas coisas mudam e se algumas vacas sagradas descem do pedestal, para que os melhores sejam convocados, e principalmente, que entrem em campo.

O Rosdet é santomense e vive em Portugal desde muito jovem. É com orgulha que faz parte do Bola na Rede e considera-se uma pessoa dedicada, motivada, focada e organizada, e prometo dar o seu melhor, como sempre faz em tudo o que se envolve. Apesar de ser informático de formação, e de ter trabalhado em empresas como a HP, Nokia, Microsoft ou Nestlé, a sua paixão sempre foi escrever. Seja blogues, textos, artigos de opinião, copywriter ou livros. Já fez de tudo um pouco e está preparado para mais um projeto.

O Rosdet é santomense e vive em Portugal desde muito jovem. É com orgulha que faz parte do Bola na Rede e considera-se uma pessoa dedicada, motivada, focada e organizada, e prometo dar o seu melhor, como sempre faz em tudo o que se envolve. Apesar de ser informático de formação, e de ter trabalhado em empresas como a HP, Nokia, Microsoft ou Nestlé, a sua paixão sempre foi escrever. Seja blogues, textos, artigos de opinião, copywriter ou livros. Já fez de tudo um pouco e está preparado para mais um projeto.

FC PORTO vs CD TONDELA