A FIGURA

Fonte: Carlos Silva/Bola na Rede

Jonas – Olhar para Jonas em campo é olhar para a personificação de uma lenda. O avançado dos encarnados dá tudo o que tem e o que não tem quando veste “o manto sagrado”. Com um sistema tático que o deixa muito abandonado na frente, o brasileiro tenta fazer o papel de dois pontas-de-lança. Ele corre, ele vem buscar jogo atrás ou até à ala. Com tanto esforço, só podia dar golo, o primeiro na Champions desde 2016. Acabou por não aguentar tanto trabalho e saiu lesionado. Menção honrosa também para Vlachodimos, a salvar o Benfica com defesas de classe mundial, e para Ziyech, que tem magia nos pés e criatividade sobrenatural.

1
2
3
Artigo anteriorAltura de exibir o estofo de campeão
Próximo artigoSporting rumo à final-four da UEFA Futsal Champions League
Durante os seus primeiros seis anos de vida, o André não ligava a futebol. Até que no dia 24 de junho de 2004, quando viu o Ricardo a defender um penálti sem luvas, se apaixonou pelo jogo. Amante da história de futebol e sempre com factos na ponta da língua, tem Cristiano Ronaldo e Rui Patrício como os seus maiores ídolos.                                                                                                                                                 O André escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.