ÚLTIMA HORA:

SL Benfica

SL Benfica 1-1 Moreirense FC: Inércia encarnada deu empate

A CRÓNICA: DOIS GOLOS CARICATOS DERAM EMOÇÃO A UM ENCONTRO “MORNO”

SL Benfica e Moreirense FC mediram forças na 18.ª jornada do Campeonato Nacional. Os encarnados, provenientes de uma vitória moralizadora que ditara a subida ao segundo lugar da classificação, procuravam manter o bom momento.

As águias entraram bem e dominaram os minutos iniciais, ainda que de forma algo consentida pelo Moreirense, que também se conseguiu aproximar da baliza de Vlachodimos. Os comandados de Nélson Veríssimo dominavam a posse de bola, mas eram inconsequentes, optando quase sempre por incursões ofensivas pelo lado direito do seu ataque.

Com Paulo Bernardo no onze inicial, o SL Benfica conseguiu levar a bola para o seu setor atacante com maior facilidade, mas demonstrava falta de imaginação no momento de decisão.

Gilberto assumia-se como peça fundamental da manobra ofensiva dos encarnados, preferindo inúmeras vezes o cruzamento para a área, e a equipa da casa conseguiu algumas oportunidades de finalização – Rafa fez a bola embater com estrondo na trave aos 20 minutos.

Ao intervalo, o marcador mantinha o 0-0 inicial. O conjunto lisboeta dispôs de duas boas oportunidades nos minutos iniciais, primeiro por Paulo Bernardo e depois por Seferovic, mas o nulo seguia.

Tudo mudou aos 62 minutos, altura em que Gilberto estava no sítio errado à hora errada para os “encarnados” e acabou por levar em cheio com a tentativa de alívio de Otamendi, marcando, assim, o autogolo que fazia o 1-0 para o Moreirense.

As águias reagiram e três minutos depois viram Darwin marcar o empate após mais um lance caricato, desta feita da defesa cónega. Até ao final, o SL Benfica aproximou-se inúmeras vezes da baliza adversária, mas o resultado não mudou.

 

A FIGURA

Fonte: Zito Delgado/ Bola na Rede

Paulo Bernardo – O jovem médio foi das principais figuras do SL Benfica enquanto esteve em campo, oscilando entre posições e combinando bem com os corredores. Conseguiu transportar bola para o último terço, ainda que nem sempre tenha decidido bem.

 

O FORA DE JOGO

Fonte: Zito Delgado/ Bola na Rede

Rafa – O avançado encarnado foi talvez dos maiores lesados pelo deambular de Paulo Bernardo. Rafa pareceu preso e teve muitas dificuldades em ser o dínamo ofensivo que o SL Benfica precisava para desbloquear a defesa do Moreirense.

 

ANÁLISE TÁTICA – SL BENFICA

Num 4-4-2 que Nélson Veríssimo pretende utilizar, o SL Benfica foi uma equipa que controlou a posse de bola, mas teve muita dificuldade em desequilibrar. A introdução de Paulo Bernardo acrescentou mais controlo e critério com bola, mas o Benfica apenas conseguiu criar perigo através dos corredores, fruto de cruzamentos para a área que iam sendo controlados pela linha defensiva do Moreirense.

Tal como o técnico das águias afirmou no final do encontro, o SL Benfica apostou demasiado no jogo pelos corredores e nem sempre teve critério na hora de decidir. Rafa nunca conseguiu ser o fator desequilibrador que costuma ser e teve dificuldades em impor o seu jogo. Darwin e Seferovic foram chamados para a luta na área e muitas vezes foram obrigados a descair nas alas ou a descer no terreno de forma a fugir à marcação cónega.

ONZE INICIAL E PONTUAÇÕES

Odysseas (6)

Grimaldo (6)

Morato (6)

Otamendi (7)

Gilberto (5)

Rafa (5)

Weigl (6)

João Mário (6)

Paulo Bernardo (8)

Darwin (7)

Seferovic (6)

SUBS UTILIZADOS E PONTUAÇÕES

Yaremchuk (6)

Diogo Gonçalves (6)

Pizzi (6)

Lázaro (6)

Gonçalo Ramos (6)

ANÁLISE TÁTICA – MOREIRENSE FC

Ricardo Sá Pinto antecipara um jogo complicado, mas acabou por apresentar um plano coeso que lhe permitiu sair do Estádio da Luz com um empate. Ao povoar o corredor central, o Moreirense condicionou os principais agitadores encarnados – Rafa, Darwin, João Mário, Paulo Bernardo – e levou a decisão do SL Benfica para os pés de Gilberto e/ou Grimaldo.

Com Ibrahima Camará e Fábio Pacheco em evidência, bem como Steven Vitória no corredor defensivo, o Moreirense foi duro na defesa para depois partir em contra-ataque com perigo. O golo marcado surgiu dum infortúnio adversário, bem como o golo sofrido, que surgiu de uma situação impossível de controlar.

 ONZE INICIAL E PONTUAÇÕES

Kewin Silva (7)

Artur Jorge (6)

Steven Vitória (7)

Pablo (6)

Paulinho (6)

Fábio Pacheco (6)

Ibrahima (7)

Pedro Amador (6)

Yan Matheus (6)

Rafael Martins (6)

Walterson (7)

SUBS UTILIZADOS E PONTUAÇÕES

André Luís (6)

Pires (6)

Matheus Silva (6)

Derik (6)

Franco (6)

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

Moreirense FC

BnR: Pergunto-lhe pela forma como a equipa defendeu, colocando mais jogadores no corredor central quando o processo ofensivo do Benfica estava a ser desenvolvido pela direita.

Ricardo Sá Pinto: Sabemos que o Grimaldo é um jogador com muita qualidade, muita chegada à área contrária e tem a capacidade de, por vezes, ser quase um médio, até pela capacidade que tem de rematar de fora. Do meu ponto de vista, o corredor esquerdo do Benfica tem mais qualidade, ainda que o Gilberto seja um jogador que dá muita profundidade e largura ao jogo, com vontade.

Sabemos que o Benfica tem jogadores de qualidade e de um grande nível, e é claro que não conseguimos parar todos, mas preparamos o jogo para podermos fechar mais aqui ou ali, dar mais iniciativa a este ou aquele. Não posso estar a contar tudo como devem calcular, mas o jogo foi preparado assim.

 

SL Benfica

BnR: Paulo Bernardo foi muito interventivo quando esteve em campo, mas pareceu retirar algum espaço para Rafa andar mais solto. O que pretendeu de Rafa durante o jogo?

Nelson Veríssimo: Dentro daquilo que foi o plano de jogo estabelecido, o Paulo Bernardo e o Rafa conseguiram cumprir em muitos momentos do jogo. Não jogamos sozinhos, também há que dar mérito às dificuldades que o Moreirense nos colocou.

Se me perguntar se devíamos ter toda a capacidade para desmontar a estrutura do Moreirense, a resposta é sim, enquanto equipa, coletivamente, e depois sim, utilizarmos as individualidades.

Artigo revisto por Joana Mendes

Componente 5 – 1 (1)

É jornalista desportivo e o andebol e o futebol foram o seu primeiro amor. Com o passar do tempo apaixonou-se também pelo basquetebol e futebol americano, e neste momento já não consegue escolher apenas um                                                                                                                                                 O Leonardo não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

É jornalista desportivo e o andebol e o futebol foram o seu primeiro amor. Com o passar do tempo apaixonou-se também pelo basquetebol e futebol americano, e neste momento já não consegue escolher apenas um                                                                                                                                                 O Leonardo não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

[my_elementor_post_nav_output]

FC PORTO vs CD TONDELA

  • 00DIAS
  • 00HORAS
  • 00MINUTOS
  • 00SEGUNDOS
FC PORTO x ESTORIL PRAIA
SPORTING CP x SANTA CLARA
PAÇOS FERREIRA x SL BENFICA