A CRÓNICA: DUAS PARTES COMPLETAMENTE ANTAGÓNICAS

Este jogo começou como uma espécie de antítese do último duelo aqui na Luz. Ao contrário do que aconteceu frente ao Vitória SC, o SL Benfica descomplicou muito e desde cedo. Logo aos três minutos, as águias adiantam-se no marcador. Foi Darwin Núñez que aproveitou um grande trabalho individual de Everton que furou toda a defesa do FC Famalicão que mais parecia manteiga. Um grande lance individual, onde o uruguaio só teve mesmo de encostar ao segundo poste. A mira estava afinada e o conjunto benfiquista fez questão de aproveitar isso mesmo. Aos sete minutos, eis que surge o segundo por Otamendi. Depois de um lance de bola parada pela esquerda, Taarabt puxa para dentro e tenta o remate. A investida do marroquino foi negada por Luiz Júnior que defende, mas a bola vai parar a uma zona de muito perigo. E é aí que o central encarnado aproveita para fazer o segundo com um autêntico disparo para o fundo das redes.

O conjunto de Jorge Jesus entrou forte e determinado. E foi sobretudo extremamente eficiente. Havia dinâmica e velocidade, algo que permitiu que a primeira parte tivesse apenas um único sentido: o da baliza famalicense. O FC Famalicão não conseguiu respirar e muito devido ao ímpeto encarnado. A equipa de Silas não estava a conseguir sair a jogar em ataque organizado e muito se deveu ao autêntico sufoco impingido pelas tropas de Jorge Jesus. Ainda assim, o Benfica diminuiu o ritmo e o Fama conseguiu aparecer mais no jogo nos minutos finais da primeira parte. Ainda houve tempo para uma bola ao poste de Gil Dias, mas, fora isso, foi apenas um ligeiro ascendente que não conseguiu ameaçar verdadeiramente a armada encarnada.

O FC Famalicão entrou bem na segunda parte. Conseguiu equilibrar mais as contas e, por sua vez, o clube da Luz regressou dos balneários mais apagado. Nesta segunda parte, digamos que foi possível voltar a encontrar o Benfica desnorteado dos últimos jogos. As feridas demoram a sarar e esta segunda parte serviu para nos mostrar isso mesmo. A equipa de Jorge Jesus começou a ter problemas na marcação e sobretudo no controlo do seu meio-campo. Apesar de ainda ter o rumo do jogo a seu favor, o conjunto encarnado voltou a evidenciar as suas maiores fragilidades. E foram algumas as oportunidades do Famalicão que nos mostraram isso mesmo.

Anúncio Publicitário

Os minutos finais foram intensos, com muitas oportunidades para ambos os lados. Mas, ainda assim, o resultado manteve-se intacto. Uma vitória por 2-0, essencialmente construída na primeira parte, uma vez que o rendimento encarnado caiu a pique no segundo tempo.

 

A FIGURA

SL Benfica
Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

Otamendi – Podia ter escolhido a arrancada do Benfica na primeira parte, mas Otamendi foi uma âncora segura na equipa encarnada esta noite. Esteve seguro, não comprometeu e teve a sua importância no ascendente do Famalicão no segundo tempo. Para além disso, é também autor do segundo golo das águias.

 

O FORA DE JOGO

SL Benfica
Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

Seferovic – O avançado esteve muito apagado hoje. O melhor marcador dos encarnados não faturou, mas não é apenas por isso que se cinge esta escolha. Para além de não ter estado muito dentro do jogo, sempre que foi chamado a intervir, acabou por decidir mal e por se precipitar.

 

ANÁLISE TÁTICA – SL BENFICA

Em relação ao último duelo do SL Benfica, destaque para a saída de Pizzi do onze inicial. Everton jogou na direita e o colega Cervi na esquerda. No meio-campo encarnado, Taarabt e Weigl fizeram dupla neste 4-4-2. E que dupla! Destaque sobretudo para Taarabt, que estava a impingir muita dinâmica no centro do terreno. O marroquino esteve no meio-campo à frente de Weigl, movimentando Cervi e Everton nas alas e Seferovic e Darwin Núñez na frente. Nota ainda para Everton que esteve muito mais atrevido na primeira parte quando esteve a jogar do lado direito, porque, verdade seja dita, aí a conversa é outra para este brasileiro.

Na segunda parte, começaram a surgir algumas debilidades que, para quem anda atento aos duelos encarnados, não são novidade nenhuma. Neste segundo tempo, começaram a surgir mais problemas de marcação e houve mais dificuldade no controlo do meio-campo do Benfica. A equipa mostrou-se mais desligada, menos compacta e isso fez-se sentir dentro das quatro linhas uma vez que o Famalicão começou a ameaçar mais vezes. Taarabt não esteve tão bem como na primeira. Na segunda parte, talvez com menos frescura, teve muita dificuldade em ocupar espaços e isso teve peso na equipa encarnada. Não houve tanto domínio no meio-campo e houve, ao mesmo tempo, mais problemas na construção.

 

11 INICIAIS E PONTUAÇÕES

Odysseas (6)

Gilberto (5)

Vertonghen (6)

Everton (6)

Darwin (6)

Cervi (6)

Seferovic (3)

Weigl (7)

Otamendi (8)

Adel Taarabt (6)

SUBS UTILIZADOS 

Pizzi (5)

Gabriel (5)

Diogo Gonçalves (-)

Chiquinho (-)

 

ANÁLISE TÁTICA – FC FAMALICÃO

A equipa de Silas apresentou cinco novidades neste onze em relação à última jornada. Entraram desde início Diogo Queirós, Edwin Herrera, Pêpê, Ivo Rodrigues e também Heriberto.

O FC Famalicão não conseguiu impor-se nos minutos iniciais. E daí os dois primeiros golos. A equipa de Silas não estava a conseguir sair a jogar e mostrou-se completamente impotente em relação ao pé no acelerador por parte dos encarnados. Em resposta, o técnico do Fama faz uma substituição logo aos 24 minutos. Com a entrada de Alexandre Guedes, o Famalicão pôde contar com dois avançados puros e isso permitiu-lhe ter muito mais presença dentro de campo a partir daí. Ainda assim, haviam ainda muitas dificuldades cada vez que o Benfica acelerava e conseguia chegar ao último terço. Sim, porque, nesses casos, era um autêntico “Ai, Jesus”.

Na segunda parte, foi um Fama com muito mais bola e que se transformou a nível posicional num 4-4-2 aproximado. A equipa de Jorge Silas foi muito mais ofensiva, mais atrevida e tentou mesmo causar estragos às águias. A este ascendente muito se deve ao facto de Silas ter arriscado e, com as substituições com jogadores mais ofensivos, ter conseguido equilibrar o duelo.


11 INICIAIS E PONTUAÇÕES

Luiz Júnior (7)

Babic (4)

Ugarte (6)

Rúben Vinagre (6)

Queirós (6)

Edwin Herrera (5)

Ivo (5)

Gil Dias (7)

Pêpê (6)

Heriberto (5)

Patrick William (5)

SUBS UTILIZADOS 

Alexandre Guedes (6)

Fernando (-)

Diogo Figueiras (-)

 

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA 

SL Benfica

Não foi possível colocar questões ao treinador do SL Benfica, Jorge Jesus

FC Famalicão

BnR: O que é que acha que conseguiu com a primeira substituição que não estava a ter até então dentro de campo, com a entrada do Alexandre Guedes?

Silas: O que nós pretendemos foi realmente ter mais gente na frente que nos pudesse permitir dar respostas àquilo que era o poderio do Benfica. E efetivamente conseguimos. Ma foi porque durante o jogo fomos percebendo que estavamos a ter alguma dificuldade aí. O facto de às vezes termos uma linha de cinco às vezes parece que estamos sempre retraídos. Pretendíamos isso: ter mais gente na frente e atacar mais. E o Guedes trouxe-nos isso.

 

1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome