Anterior1 de 3Próximo

Em mais um encontro da Primeira Liga, o SL Benfica recebeu e venceu o Portimonense SC por 5-1, mantendo assim a liderança isolada. Com o fim do campeonato cada vez mais perto, os comandados de Bruno Lage tinham forçosamente de ganhar para o “sonho do 37” ficar cada vez mais próximo, mas teriam de ter cuidado com os “alvinegros” que pretendiam voltar a travar o Benfica, após terem vencido por 2-0 na primeira volta.

Com um belo final de tarde primaveril, o início de jogo não foi muito interessante de se acompanhar, uma vez que as duas equipas não conseguiram criar ocasiões de perigo nos primeiros minutos. Teve-se então de esperar até ao minuto 9 para ver uma boa oportunidade: Seferovic, bem isolado por João Félix, tentou picar a bola por cima de Ricardo Ferreira, mas o guardião visitante levou a melhor. O Portimonense respondeu logo a seguir – após um primeiro remate de Henrique defendido por Vlachodimos com o pé esquerdo, a bola sobrou no coração da área para Dener que atirou bem por cima da baliza.

O Benfica ia demonstrando algum nervosismo, colecionando muitos passes falhados e perdas de bola a meio-campo, perante um Portimonense que ia estando confortável na Luz a ter a bola no pé e sem medo do líder do campeonato. Esse nervosismo passou para as bancadas, com os adeptos a dar mostras de alguma impaciência e desejos de ver rápidas melhorias na exibição das “águias”.

Aos 22’, Dener Clemente voltou a ter uma excelente oportunidade para marcar, depois de uma recuperação de Paulinho perto da área encarnada, contudo o seu remate saiu novamente desviado da baliza à guarda de Vlachodimos.

Depois de algum tempo sem rematar à baliza adversária, o Benfica voltou a criar perigo a Ricardo Fernandes – Pizzi ao minuto 28, após um cruzamento atrasado de Grimaldo, rematou, mas à figura do guardião algarvio. O jogo voltou a entrar num período com poucos lances de interesse, até que aos 40’, o Portimonense voltou a estar perto de fazer o primeiro na Luz – Tabata fugiu bem à defesa encarnada e rematou para mais uma defesa com o pé de Vlachodimos.

Antes do intervalo, Samaris de livre direto obrigou Ricardo Ferreira a voar para manter o nulo no marcador. O descanso chegou com o marcador a zeros e esperava-se um Benfica com outra face para o segundo tempo.

Fonte: Carlos Silva/Bola na Rede

Retomada a partida mais do mesmo ou até pior. O Benfica continuava ansioso no jogo e nada saia bem aos comandados de Bruno Lage, enquanto que o Portimonense estava muito coeso em campo e em busca de algo mais, que conseguiu poucos minutos do início da segunda parte.

Ao minuto 52, um balde de água muito gelada no Estádio da Luz. Dener com uma grande visão de jogo e um excelente passe a desmarcar Bruno Tabata. O número 11 do Portimonense não teve medo da mancha de Vlachodimos e ultrapassou o grego e rematou para o fundo das redes. Estava assim inaugurado o marcador na partida e as bancadas da Luz desesperavam.

Mas o Benfica não baixou os braços e a entrada de Jonas surtiu logo a diferença no jogo, sobretudo, na pressão aos defesas adversários. Ao minuto 61, Rafa a aproveitou primeiro o atraso mal feito e depois um erro grosseiro do defesa Lucas Fernandes e apenas teve de picar a bola por cima do Ricardo Ferreira. Igualdade a um e era o primeiro momento de alegria no Estádio da Luz.

Os minutos seguinte foram o sufoco total por parte dos “encarnados”. Primeiro, foi Seferovic a enviar o esférico à trave da baliza do Portimonense. Depois foi a vez de Grimaldo tentar a sorte de fora da área, mas a não ter muito sucesso, pois Ricardo Ferreira estava atento e afastou o perigo.

Mas o marcador da reviravolta no jogo estava destinado novamente a Rafa. Após uma grande confusão na grande área e com Ricardo Ferreira a ir pressionar até ao limite da área surgiu o golo “encarnado”.

Ao minuto 66, não se sabia quem rematava para o fundo da baliza, se Grimaldo se Rafa, mas o português tomou conta da bola e fez ele mesmo o golo. Estava feita a remontada na partida e o número 27 do Benfica fazia o golo 19 na presente temporada.

Depois do segundo golo do Benfica, o ritmo da partida acabou por cair drasticamente. Houve algumas perdas de bolas de ambos os lados originaram ocasiões de perigo que não foram finalizadas da melhor maneira. Porém, a tarde prometia ainda mais golos para o lado das “águias”.

Ao minuto 84, Seferovic, que tantas oportunidades tinha falhado no primeiro tempo, a ser eficaz. Após um belo passe de Pizzi para o interior da área, o suíço só teve de encher o pé e rematar de primeiro para o fundo da baliza. O remate cruzado foi indefensável para Ricardo Ferreira. Por uma unha negra que o avançado suíço não estava em posição irregular, mas estava aumentada a vantagem para 3-1 e dada a tranquilidade na partida que o Benfica tanto precisava.

O avançado suíço ainda voltava a fazer novo golo no jogo quatro minutos depois do primeiro. Seferovic só teve mesmo de encostar para o fundo da baliza depois de um excelente cruzamento de André Almeida. O melhor marcador da liga portuguesa bisava na partida e fazia o 21º golo na competição.

E porque o melhor está guardado para o final. Foi aos 92 minutos que Jonas respondeu, novamente, a um grande cruzamento de André Almeida. O ponta de lança brasileiro na cara do guarda-redes Ricardo Ferreira só teve de fazer aquilo que melhor sabe: o golo. Se o resultado não estava sentenciado foi este momento que terminou bem o jogo.

O Benfica ganhou e garantiu assim mais três pontos que permitem manter a liderança isolada na Liga. Depois duma primeira parte apagada, os comandados de Bruno Lage ainda tiveram um pequeno susto com o golo de Tabata, mas com categoria conseguiram dar a volta e vencer confortavelmente o Portimonense. A equipa algarvia mantém-se no 12.º lugar com 36 pontos, e ainda não garantiu a manutenção.

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES:

SL Benfica: Odysseas Vlachodimos, André Almeida, Ferro, Jardel, Álex Grimaldo, Andreas Samaris (Jonas, 61’), Florentino Luís, Pizzi, Rafa Silva, João Félix (Gedson, 79’) e Haris Seferovic

Portimonense SC: Ricardo Ferreira, Vítor Tormena, Lucas Possignolo, Jadson, Rúben Fernandes, Henrique (Paulinho Bóia, 82’), Pedro Sá, Paulinho, Lucas Fernandes, Dener Clemente (Ruster Santos, 72’) e Bruno Tabata

Anterior1 de 3Próximo

Comentários