Já não é a primeira vez que um jogador de um clube rival é associado ao SL Benfica. Aliás, estas “novelas” acontecem quase todas as épocas, quando o mercado de transferências se inicia, mas, por vezes, tornam-se mesmo reais.

Temos alguns exemplos disso no futebol nacional, como os casos de Maxi Pereira, Nicolás Otamendi, João Moutinho, João Pinto ou até mesmo Paulo Futre. Esta época que se avizinha não é exceção e, desta vez, é João Mário o “ator principal”. O jogador do Inter de Milão, que na época passada esteve emprestado ao Sporting CP, está a ser associado ao SL Benfica.

São várias as notícias que relacionam o médio com as águias e que referem o alegado interesse da equipa de Jorge Jesus no jogador. A mim parece-me mais um fait diver. Apesar de João Mário ser um excelente jogador e de ter imensa experiência no que ao futebol português diz respeito, não me parece que essas notícias se tornem realidade.

O português fez quase toda a sua formação no Sporting CP e, na época transata, foi uma das principais figuras da conquista da Primeira Liga, somando 28 jogos, dois golos e uma assistência.

Anúncio Publicitário

Posto isto, parece-me que a hipótese de vir a representar o clube do lado oposto da 2ª Circular seja praticamente impossível. Além dessa ligação aos leões, também importa referir que o meio campo dos encarnados já conta com nomes fortes e conhecidos pelos adeptos benfiquistas: Samaris, Pizzi, Weigl, Taarabt, Gabriel, ou, até mesmo, Chiquinho.

A imprensa italiana aponta João Mário ao SL Benfica
A imprensa italiana aponta João Mário ao SL Benfica
Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

Dificilmente Jorge Jesus irá prescindir de alguma destas opções para colocar João Mário no onze inicial. Samaris está no SL Benfica desde 2014, é adorado pelos adeptos e já está a recuperar da lesão; Pizzi é um jogador importante para o treinador e também já tem oito anos de águia ao peito.

Weigl e Taarabt são autênticos patrões do meio campo; Gabriel, apesar de não ser a primeira opção para Jorge Jesus, também é um jogador que, caso não seja vendido ou emprestado, poderá estar no banco de suplentes; e Chiquinho que, apesar de não ter sido uma aposta recorrente para o técnico, esteve presente em 18 jogos da Primeira Liga, cinco da Taça de Portugal e três da UEFA Europa League. Com este leque de opções já fica difícil escolher e se João Mário viesse representar as águias ia ser ainda mais.

Para além disso, se um jogador que acabou de vencer o campeonato pelo eterno rival viesse representar o SL Benfica, neste momento, em que o clube vive uma situação complicada entre adeptos e presidente, este seria mais um assunto que ia dividir o universo encarnado.

Assim sendo, creio que o negócio não é viável e que o destino de João Mário não passará pelo Estádio da Luz.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome