Extremos

O indiscutível Pizzi na ala direita e Rafa na esquerda iriam preencher os lugares do onze.

Penso que Pizzi encostado a uma ala – a sua posição de origem e assumida pelo próprio como sendo onde se sente mais confortável – tem mais preponderância. Por sua vez, depois de Rafa ter realizado a sua melhor época, é também um dos indiscutíveis.

Caio Lucas seria o jogador na sombra de Rafa, sempre à espreita de um lugar no onze. Esteve muito bem nos jogos de pré época, com assistências e golos, fazendo de tudo por merecer um lugar no plantel.

Fonte: SL Benfica

Jota tem sido um jogador que tem atuado como segundo avançado, mas acredito que quando Carlos Vinícius tiver rodagem suficiente, as oportunidades para o jovem vão encurtar. Vejo também o português a atuar pelas alas, como muitas vezes fez na equipa B, com Bruno Lage no comando.

Para completar a posição, e porque vários jogadores já mencionados podem desempenhar esta função, daria mais uma oportunidade a Zivkovic. É um jogador com bastante talento, muito bom tecnicamente e que já mostrou aos adeptos encarnados que pode ser uma mais-valia.

Franco Cervi, por já ter percebido que não irá ter uma utilização regular no onze e por também ter manifestado vontade de sair, não entra nas minhas contas para esta época.

Avançados/Ponta de lança

Seferovic e Raul de Tomas, pelo que já foi visto nos amigáveis, iriam começar de início, sendo que Carlos Vinícius, com alguns minutos nas pernas e na plenitude das suas capacidades, irá seguramente provocar uma dor de cabeça a Bruno Lage.

Anúncio Publicitário
Tal como nas alas, esta posição poderá ser preenchida por outros elementos. Na minha opinião, para Cádiz o melhor seria o empréstimo a uma equipa da Liga, sendo já notícia o seu possível ingresso na equipa de Belém.

Posto isto, chego à conclusão que um treinador não tem uma tarefa fácil na decisão de quem deve ficar e quem deve partir.

Irão as decisões tomadas por Bruno Lage ser as mais corretas? Acredito vivamente que sim.

Foto Capa: SL Benfica

1
2
3
Artigo anteriorGelson Dala: fica ou vai?
Próximo artigoQuem quer ser jogador do FC Porto?
Desde tenra idade que o Francisco começou só a respirar futebol. Licenciado em Gestão do Desporto, descobriu o gosto de expressar as suas opiniões através da escrita. Considerado pelos que lhe são mais próximos como uma enciclopédia do futebol nacional, é o gosto pelo campeonato português aquele que mais se evidencia. Adepto fervoroso do SL Benfica, admite ficar bastante chateado quando não consegue ver um jogo.                                                                                                                                                 O Francisco escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.