Esta pré-temporada do SL Benfica poderia ter sido uma nova oportunidade para que alguns dos jovens da formação encarnada aproveitassem para agarrar um lugar na equipa. No entanto, a situação para jogadores como Ferro, Florentino Luís, Gedson Fernandes e João Filipe permanece praticamente inalterada.

Os quatro jovens referidos regressaram de empréstimos que, na maioria dos casos, foram mal sucedidos e, a julgar pelos minutos que tiveram na pré-temporada, parece que voltarão a receber guia de marca para esta época.

Muitos adeptos podem criticar legitimamente o treinador Jorge Jesus pelo facto de não confiar e apostar nos jovens da formação, mas a verdade é que, na maioria dos casos aqui mencionados, estes também têm tido dificuldades em mostrar o seu valor noutras paragens. E isto pode acontecer por várias razões.

Verificando os casos, Florentino Luís foi lançado na equipa principal por Bruno Lage, o mesmo treinador que deixou de apostar repentinamente uns meses mais tarde, tendo na época passada realizado 11 jogos pelo AS Mónaco. Ferro realizou três jogos, em meia época, no Valencia CF.

Anúncio Publicitário
Ferro perdeu espaço no SL Benfica
Ferro perdeu espaço no SL Benfica
Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

João Filipe, que pouco jogou – quer com Bruno Lage, quer com Nelson Veríssimo –, realizou 18 jogos e marcou dois golos pelo Real Valladolid CF. Já Gedson Fernandes, depois de mal jogar no Tottenham Hotspurs, teve finalmente um período bem sucedido no Galatasaray SK, a partir de janeiro, onde marcou um golo em 18 jogos.

Há razões para criticar a gestão de carreira destes jogadores, mas será que os jogadores também não estarão a gerir as suas carreiras em função do dinheiro? Ou estarão dispostos a rodar em clubes de dimensões inferiores?

Há uns meses, escrevi aqui noutro artigo acerca das dificuldades cada vez maiores que havia em gerir as expectativas, dificuldades essas que podem dever-se a vários fatores, entre os quais toda a promoção que lhes é feita, seja pelo clube, pela imprensa, ou até mesmo pelos adeptos.

Em virtude dessa promoção, os jogadores poderão acreditar que não será difícil conquistarem um lugar na equipa principal, levando-os a queimar etapas no seu percurso evolutivo enquanto jogadores.

Gedson Fernandes não tem conseguido singrar na equipa principal do SL Benfica
Gedson Fernandes não tem conseguido singrar na equipa principal do SL Benfica
Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

Por muito que isto possa custar a entrar na cabeça de alguns jogadores e adeptos, ao atingir um novo patamar competitivo, só o talento não chega para se afirmarem. É preciso um contexto propício ao seu crescimento, mas também é preciso que os jogadores tenham a maturidade competitiva necessária para que se consigam adaptar aos diversos patamares competitivos.

Na minha opinião, se os jogadores não conseguem ser aposta em várias equipas e/ou com vários treinadores, é porque fazem alguma coisa de errado, sendo que o problema não pode ser apenas dos treinadores que não apostam neles ou do contexto que não é favorável.

Como tal, acho que a maioria destes jogadores precisa de se afirmar num contexto que lhes dê continuidade, de modo a que se prepararem para agarrar um lugar na equipa principal do SL Benfica.

Artigo revisto por Andreia Custódio

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome