sl benfica cabeçalho 1

Dois mil e dezoito chegou e segue em frente à mesma velocidade que dois mil e dezassete acabou, estando já a terminar o mês de janeiro. Isto, em termos futebolísticos significa que o mercado de inverno que iniciou no primeiro dia do mês, está a poucos dias de fechar e encerrar assim quaisquer transferências entre clubes esta temporada.

Este facto tem especial importância para o Sport Lisboa e Benfica que, devido a resultados e exibições aquém do esperado ao longo da primeira metade da época, foi extremamente criticado pela massa adepta por não ter investido no mercado de verão após as saídas de algumas peças principais do onze inicial encarnado.

Se os encarnados já tivessem feito o investimento que se pedia no mercado de inverno, o Benfica poderia ignorar que a janela de transferências encerra dentro de poucos dias. No entanto, é notória a discrição com que o clube da Luz tem abordado este assunto.

Tudo parecia indicar que a altura para investir estava a chegar quando, antes do dérbi frente ao Sporting CP para a Primeira Liga, surgiu o rumor de que os encarnados iriam anunciar a contratação de um guarda redes croata, Vlachodimos, ao Panathinaikos. A crise na baliza encarnada parecia ter merecido a intervenção da direção das águias e levado a um investimento de forma a acabar com esse problema. No entanto, tal transferência ainda não se confirmou.

Vários rumores se seguiram (falar de janela de transferências em Portugal e não falar de Benfica na comunicação social acaba por ser impossível), mas apenas Erdal Rakip, jovem sueco, se tornou uma realidade. O médio de 21 anos vindo do Malmö, porém, seguiu viagem para outro campeonato, sem fazer um único minuto pelos encarnados. Prestes a ser emprestado ao Crystal Palace, as negociações ainda tentaram ser interrompidas quando Krovinovic se lesionou no jogo frente ao CD Chaves. Contudo, Luís Filipe Vieira foi tarde demais e o sueco vai mesmo jogar pelos ingleses por empréstimo da equipa que acaba de perder uma peça fundamental do meio campo.

Krovinovic lesionou-se no encontro frente ao Chaves e não volta a jogar esta temporada Fonte: SL Benfica
Krovinovic lesionou-se no encontro frente ao Chaves e não volta a jogar esta temporada
Fonte: SL Benfica

Quanto a saídas, houve a transferência milionária do jovem de 16 anos, Umaró Embaló, que rendeu 20 milhões de euros aos cofres das águias, trocando o Benfica pelo RB Leipzig, da Bundesliga. O Benfica ainda se espera que fique com 25% de uma futura transferência do jogador. Além disso, e para deleite de muitos adeptos que não se deixaram convencer com nenhum dos dois, Filipe Augusto vai jogar pelo Alanyaspor, da Turquia, durante 18 meses, e Gabriel Barbosa vai sair das águias para representar o Santos. Na defesa, com mais tristeza do que alegria dos adeptos, Lisandro López também se despediu do clube encarnado, de forma definitiva, tendo em conta o empréstimo até ao final da temporada, no valor de 500 mil euros, e da opção de compra obrigatória no valor de nove milhões de euros.

De resto, nada se alterou e isso inquieta quem esperava que o Benfica avançasse em força neste mercado. A apenas dias do fecho da janela de transferências, o Benfica continua a fazer dinheiro com as saídas, mas continua a esquecer-se de as cobrir. Krovinovic deixou uma importante vaga por preencher no meio campo encarnado; Filipe Augusto saiu, o que retira um médio defensivo do plantel; Se havia uma crise na baliza das águias, pouco se trabalhou para a resolver; A saída de Lisandro deixa apenas Jardel, Luisão e Rúben Dias para dois lugares no centro da defesa; Douglas está longe de ser uma solução para a ala direita da defesa e pouco se falou de reforços para esta posição; Seferovic está longe de ser um jogador de área como era Mitroglou e continua-se sem sequer apontar alvos semelhantes ao grego.

Uma equipa que tem vindo sempre a beneficiar de um plantel vasto e de qualidade, onde a troca de um jogador por outro não alterava a exibição, muito menos o resultado do jogo, está a ver-se com poucas soluções e muitas delas sendo apenas o suficiente, em vez de ser o necessário. Existem muitos setores a necessitar de reforços, ou pelo menos de segundas linhas.

Embora os encarnados estejam apenas na Primeira Liga, este mercado seria bom para começar a pensar num Benfica 2018/19, iniciando jogadores a pensar no futuro, de forma a entrar bastante melhor e mais seguro na próxima temporada, sem nunca tirar a cabeça desta época para não deitar tudo a perder.

No entanto, o mercado ainda mexe. Ainda há tempo para transferências de última hora ou mesmo para jogadores em fim de contrato. A última vez que fomos buscar um jogador livre, saiu-nos um Jonas.

Foto de Capa: SL Benfica

Comentários