Para além da equipa principal, a equipa B também irá iniciar o campeonato da Segunda Liga neste fim-de-semana, com a recepção ao GD Estoril-Praia. Por norma, o plantel da equipa B costuma sofrer muitas alterações de ano para ano, visto que os jogadores que mais se destacam em cada época precisam de dar o salto para patamares competitivos mais elevados para darem continuidade à sua evolução.

Com isso, e com as muitas promoções que já houve após a chegada de Bruno Lage à equipa principal, será necessário construir uma nova equipa B, que tenha oportunidades de jogo nesta época e que consiga evoluir de modo a ter uma oportunidade na equipa principal num futuro próximo.

Começando pela baliza, seguindo a lógica dos últimos anos, o guarda-redes suplente assume a titularidade quando o titular dá o salto. Sendo assim, Fábio Duarte deverá ser o titular. No entanto, o ex-júnior Celton Biai realizou uma época de grande nível nas equipas de juniores e de sub-23 e também na selecção de sub-19, tendo a meu entender, condições para assumir a titularidade na equipa B.

Nas laterais existem muitas opções. Para começar, possui dois dos jogadores mais talentosos da geração de 2001: João Ferreira (que começou a pré-época na equipa principal) e Tomás Tavares. Os dois deverão disputar a vaga na lateral-direita na equipa B, juntamente com os já séniores Luís Pinheiro e Tomás Domingos. Na esquerda, Nuno Tavares pode e deve ser opção na equipa B quando não for convocado nos jogos da equipa principal. Assim sendo, deverá disputar a vaga com Godfried Frimpong.

No centro da defesa, quem deverá formar a dupla titular deverá ser Pedro Álvaro e David Zec, que já formaram dupla nalguns jogos na época passada. Como alternativas, têm nomes como Gonçalo Loureiro, Miguel Nóbrega e Pedro Ganchas.

Renato Paiva teve, desta vez, a oportunidade de trabalhar com a equipa B na pré-época
Fonte: SL Benfica

No meio campo existem duas hipóteses: caso se jogue em 4-3-3, pode-se apostar num trio composto por Vukotic, Tiago Dantas e David Tavares. Caso se jogue num 4-4-2 idêntico ao da equipa principal, Tiago Dantas pode jogar encostado à direita a fazer de “Pizzi” com Vukotic e David Tavares a formar dupla no miolo.

Depois nos extremos, é uma das posições onde a qualidade mais abunda, havendo vários jogadores que podem ser opção: Úmaro Embaló, Diogo Pinto, Rodrigo Conceição, Tiago Gouveia, Vinícius Ferreira… E no caso de se jogar em 4-4-2, Gonçalo Ramos pode ser aposta como segundo avançado. Apesar de ser médio de origem, Gonçalo Ramos sempre mostrou uma veia goleadora apurada, tendo sido o melhor marcador do Europeu de sub-19.

Na posição de ponta-de-lança, a situação fica mais complicada, visto que é a posição onde a formação do Benfica está mais carenciada. A vaga na posição deverá alternar entre Pedro Henrique, Daniel dos Anjos e, talvez, Vasco Paciência.

Esta será uma época para novos jogadores do Seixal se afirmarem num contexto sénior e mostrarem que têm condições para dar o salto no curto prazo. Renato Paiva é um treinador com uma filosofia de jogo que privilegia a posse de bola, possuindo assim um modelo que valoriza o jogo e os jogadores, no qual estes sabem o que fazer em campo. Como tal, espero mais uma época positiva para a formação secundária encarnada, na qual haverá mais jogadores a evoluir.

Foto de Capa: SL Benfica

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários