O Benfica deslocou-se ao Bonfim para um confronto difícil. As equipas entraram para o aquecimento e tudo indicava que os onze iniciais se manteriam sem alterações. No entanto, ainda antes do início da partida, Rui Vitória foi obrigado a substituir Jonas pelo mexicano Raul Jimenez, que não era titular desde o jogo frente ao Manchester United, em terras de Nossa Majestade. O avançado brasileiro ter-se-à lesionado no aquecimento.

O Benfica entrou na partida com uma alteração inesperada e, aparentemente, com o pé esquerdo. Logo no terceiro minuto de jogo, Nuno Pinto cruzou a bola para Costinha e o Vitória inaugurou o marcador.

Os encarnados ainda tentaram reagir, mas todos os ataques resultaram em remates sem grande perigo para o guarda redes sadino, Cristiano. Até perto dos 25 minutos de jogo os homens de José Couceiro estiveram sempre mais perto do segundo, que o Benfica do empate.

Ainda assim, o atual campeão português não se deixou ir a baixo e começou a crescer no terreno e psicologicamente. Depois de alguns remates que assustaram a defensiva sadina, Raul Jimenez faz o golo do empate, aos 28 minutos, assistido por Rafa. Estava restabelecida a igualdade no Bonfim.

Anúncio Publicitário

Depois do golo do Benfica, houve confrontos na bancada central, obrigando à intervenção da polícia. Bonfim cheio, para a festa que é o futebol. Festa essa estragada por meia dúzia de adeptos. Que triste é!

Até ao intervalo o Benfica voltou a criar algumas ocasiões de golo, sem sucesso, tal como o Vitória, que viu um golo de Edinho anulado por fora de jogo. Rúben Dias viu ainda um cartão amarelo, depois de uma falta cometida sobre o camisola 36 do Vitória, deixando assim o central fora do clássico.

O Benfica foi subindo de rendimento no “tiquetaquear” do relógio
Fonte: Bola na Rede

O Benfica entrou bem na segunda metade, mas tal não durou muito tempo. O Vitória entrou com garra e, por diversas vezes, poderia ter feito o segundo. Aos 62′ Edinho desperdiça uma oportunidade clara de golo e, no mesmo minuto, a equipa sadina ficou a pedir grande penalidade. O árbitro nada assinalou e o jogo seguiu no mesmo sentido: Vitória no ataque. Durante dez minutos, os encarnados estiveram sufocados pela pressão vitoriana, que acabou por não dar em nada.

O jogo seguiu sofrido. Rui Vitória mexeu na equipa, lançando Seferovic a jogo, saindo, assim, Rafa. Minutos depois, foi Grimaldo a ser substituído. O lateral pediu para sair e o técnico das águias não hesitou em meter Salvio em campo, recuando Cervi. E Salvio poderia ter feio o o segundo golo do Benfica! Mas sozinho, cara a cara com Cristiano, atirou por cima da baliza.

O Benfica pressionou, correu atrás do prejuízo, mas o Vitória foi cumprindo a sua parte. Aos 88′ minutos a bola ainda entrou na baliza de Cristiano, mas Jardel, o autor do cabeceamento, foi apanhado em fora de jogo.

Luís Godinho informou que o jogo teria mais cinco minutos para lá dos 90 e, de seguida, Luís Felipe faz falta sobre Salvio na área sadina. O juíz da partida não hesitou e marcou grande penalidade a favor dos encarnados. Raul Jimenez foi chamado ao dever e não falhou. Estava feito o 1-2 no Bonfim.

Nem o golo aos 90 desmotivou o Vitória que, até ao apito final, não desistiu e foi à procura do golo do empate. Não teve tempo e o Benfica acabou por sair vencedor, com uma vitória tirada a ferros. Três pontos importantes para o Benfica alcançar o tão desejado “penta”.

Foto de Capa: Bola na Rede