logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

Lusitânia Vildemoinhos

Lusitano FCV 1-0 ACDR Lamelas: Chuva abençoa vitória dos anfitriões

A CRÓNICA: SEGREDO DA VITÓRIA ESTAVA NO BANCO

Depois de uma derrota comprometedora em Nelas [por 2-0], o Lusitano FCV recebia o ACDR Lamelas a precisar de pontos para se aproximar dos lugares cimeiros.

Apesar do maior favoritismo caseiro, foram os visitantes que começaram com mais posse de bola e estiveram mais próximos de chegar à vantagem.

Aos sete minutos, na sequência de um passe atrasado, o guarda redes do Lusitano, André Maló, que estava adiantado, deixou escapar a bola dos pés e entregou o esférico a Cojo. O avançado do Lamelas foi displicente e permitiu a defesa incompleta de Maló. A bola ainda chegou a Luís Almeida que atirou ao poste esquerdo da baliza do Lusitano.

Já aos 21 minutos, os forasteiros causaram novamente perigo. Em zona frontal de livre direto, Anastácio atirou para junto do poste direito e obrigou André Maló a uma defesa apertada.

A partir da meia hora, o sentido do jogo mudou. O Lusitano partia para cima do adversário e causou perigo em ambas as situações por Hélder Rodrigues. No desenrolar de uma cobrança rápida de um livre pela direita, o avançado solto de marcação dentro da grande área atirou às malhas laterais da baliza de Xuteiras. A quatro minutos do intervalo, Hélder Rodrigues, num bom pormenor técnico, tira um adversário do caminho e remata para defesa incompleta do guardião do Lamelas.

O segundo tempo iniciou-se equilibrado, mas a um ritmo mais baixo fruto possivelmente do aumento da intensidade da chuva e do frio que se fazia sentir.

As oportunidades só surgiram depois da hora de jogo. Primeiro, o recém-entrado Simão Pipo, em boa posição dentro da grande área, viu o seu remate que ia para a baliza ser barrado pelos defesas do Lamelas. Logo a seguir, bom cruzamento pela esquerda de Hélder Rodrigues que chegou até Barry, mas o ponta de lança acabou por atirar às malhas laterais da baliza de Xuteiras.

O Lamelas também não deixava de atacar e aproveitando um mau posicionamento dos defesas do Lusitano, Hugo Parente viu bem na grande área Nelson e fez um passe cruzado da esquerda para o colega. No entanto, o lateral, com tempo e espaço para finalizar, acabou por atirar cruzado para fora, passando o remate perto do poste direito da baliza de André Maló.

A equipa da casa voltou à carga de livre direto por Bruno Loureiro que proporcionou a defesa da tarde a Xuteiras. O golo viria logo a seguir, aos 75 minutos, por Simão Pipo que correspondeu bem de cabeça a um cruzamento de Túlio.

O Lamelas teve ainda uma grande oportunidade para empatar o jogo. Ruizinho rematou à entrada da grande área, obrigando Maló a desviar a bola por cima do travessão. Já do outro lado, Hélder Rodrigues viu as suas intenções para alargar a vantagem do Lusitano, nas mãos de Xuteiras.

Vitória difícil para o Lusitano que acabou por justificar o resultado mais pela segunda parte do que pela primeira.

A FIGURA

Simão Pipo – O atacante do Lusitano já tinha sido o herói da última vitória caseira da equipa, com um bis apontado. Desta vez, o jovem começou no banco, mas assim que entrou agitou o ataque dos anfitriões. Foi uma seta apontada à baliza do Lamelas e conseguiu dar objetividade e eficácia ao Lusitano.

O FORA DE JOGO

Gonçalo Santos – O médio do Lusitano esteve bastante discreto, nesta partida. A par dos colegas do meio campo, não conseguiu exercer pressão e parar a maior posse e dinamismo dos setores intermediário e ofensivo do Lamelas. O jogador sobressaiu numa má receção da bola no grande círculo, que levou a que a equipa perdesse a posse da bola. Foi um dos dois primeiros sacrificados e a equipa melhorou.

 

ANÁLISE TÁTICA – LUSITANO FCV

Sérgio Fonseca utilizou o 4x3x3, com o trio ofensivo composto por Kiku à esquerda, Hélder Rodrigues à direita, mas a derivar muitas vezes para dentro, dando espaço a Tomé para avançar no corredor e no centro Barry. No meio campo, Gonçalo Santos e Túlio apareciam ligeiramente mais adiantados do que Bruno Loureiro.

Na segunda parte, o treinador do Lusitano acabou por apostar em Simão Pipo e Miranda e acabou por ficar mais perigoso, chegando inclusivamente ao golo. Sérgio Fonseca retardou em demasia as substituições.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

André Maló (7)

Tomé (6)

Calico (7)

João André (7)

Leal (6)

Túlio (7)

Bruno Loureiro (7)

Gonçalo Santos (6)

Kiku (6)

Hélder Rodrigues (7)

Barry (6)

SUBS UTILIZADOS

Simão Pipo (8)

Miranda (6)

Tatiano (-)

Salú (-)

 

ANÁLISE TÁTICA – ACDR LAMELAS

Xando apostou num 4x4x2, com um dos médios, Valdo, a fazer a ligação ao duo da frente, Luís Almeida e Cojo. O trio intermediário mais recuado, Chico, Hugo Parente e Ruizinho, foi importante, na primeira parte, para segurar a posse de bola impedir o Lusitano de chegar próximo da baliza de Xuteiras.

Só com quatro soluções no banco, o treinador do Lamelas acabou por retardar as substituições até estarem em desvantagem no marcador.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Xuteiras (7)

Nelson Cardoso (6)

Anastácio (6)

Pedro Pinto (6)

Filipe (6)

Hugo Parente (7)

Chico (7)

Ruizinho (6)

Kojo (6)

Luís Almeida (6)

Valdo (7)

SUBS UTILIZADOS

Caio (-)

Yannick (-)

 

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

Lusitano FCV

BnR: Uma vitória bastante difícil. Que balanço faz do jogo?

Sérgio Fonseca [técnico principal]:  Concordo com a análise. Foi um jogo difícil contra um bom adversário em que tivemos de nos superar para conseguirmos os três pontos.

BnR: A equipa apresentou-se algo apática nos primeiros trinta minutos. Fazia parte da estratégia para tentar perceber o que o Lamelas trazia e aproveitar os espaços na sua zona defensiva?

Sérgio Fonseca: Houve um ou outro lance em que estivemos apáticos. Por outro lado, essa ligeiramente superioridade do nosso adversário tem a ver com a qualidade que eles têm. Estamos a falar de uma equipa que tem muita qualidade, nós não jogamos sozinhos. Contudo, depois começamos a pegar no jogo, a ter mais bola, a criar mais situações de perigo e, por momentos, também estivemos por cima do jogo também.

BnR: A vitória foi conseguida através do golo de Pipo, que começou o jogo a partir do banco. As substituições foram fundamentais para a vitória?

Sérgio Fonseca: As substituições, quando traduzem golos como foi o nosso caso, a entrada do Pipo que fez o golo da vitória, acabaram por correr bem. Nós temos um plantel competitivo e, tendo em conta aquilo que se estava a passar no jogo, a nossa ideia era refrescar, colocar jogadores na frente com outras características para tentar mexer com o jogo. Correu bem, desta vez, o Pipo entrou e fez golo. Nós estamos muito contentes com a sua prestação, como é óbvio.

As substituições acabaram por correr bem, temos um plantel competitivo. A ideia foi refrescar. O pipo  fez golo e estamos contentes com a exibição.

 

ACDR Lamelas

BnR: O Lamelas acabou por perder pela margem mínima. Considera o resultado justo?

Xando [técnico principal]:  O resultado é justo porque o Lusitano fez um golo e nós não fizemos golo e o lusitano fez. Os jogos são feitos de eficácia e competência e o Lusitano foi eficaz, por isso o resultado é justo. Deixo uma palavra de parabéns ao Lusitano e uma palavra de orgulho para os meus jogadores. Estou muito orgulhoso do trabalho efetuado. Nós percebemos muito bem o que tínhamos de fazer durante o jogo e sou um trabalho muito grato aos meus jogadores.

BnR: O Lamelas teve várias oportunidades para marcar durante todo o jogo, mas especialmente na primeira parte. O que faltou à equipa para chegar ao golo? As condições atmosféricas e do terreno de jogo prejudicaram?

Xando: As condições do relvado são iguais para ambas as equipas. O futebol vive de eficácia e competência, hoje o Lusitano foi mais eficaz e competente e, por isso ganhou o jogo.

Penso que os jogos têm sido um bocadinho madrastos para nós nesta fase, mas nós estamos no Lamelas e temos de ter consciência para o caminho onde estávamos e para onde queremos ir. Há 3/4 anos, o Lamelas lutava para tentar não descer de divisão e agora anda a lutar com os tubarões para tentar subir. Continuo a dizer: estou muito orgulhoso dos meus jogadores, pelo jogo que aqui fizeram. Aquilo que trazíamos para o jogo foi concretizado, quisemos pressionar na primeira fase para tirar dividendos disso. Tivemos algumas oportunidades por termo conseguido ganhar bola na primeira fase. Quisemos atrair adversário para a nossa primeira fase para poder saltar linhas e usar o ataque direto. Tentámos também construir, mas sabíamos que era difícil num terreno molhado, escorregadio e pesado. Portanto, dignificámos bastante a nossa camisola e os símbolos e as gentes de Lamelas. Os jogos têm sido madrastos para nós em termos de eficácia e competência, mas temos de nos cingir a isso.

BnR: A falta de soluções no banco [apenas quatro jogadores] limitou bastante a sua ação como treinador?

Xando: Relativamente às soluções, são coisas que não queria abordar muito porque vínhamos de alguns castigos. Na primeira fase, a nossa equipa foi pouco penalizada nesse capítulo. Agora estamos a ser, temos já algumas expulsões. Temos de lidar com o que temos. Os jogadores disponíveis cumpriram. A estratégia para o jogo foi cumprida, era esse o nosso objetivo: jogarmos conforme jogámos. Não estava o jogador “A” ou “B”, mas como dizem, não está o “Manel”, joga o “António”. O que interessa é focarmos no processo, na nossa forma de jogar, e foi o que fizemos aqui em casa do Lusitano e estamos muito orgulhosos disso.

Curioso em múltiplas áreas, o desporto não podia escapar do seu campo de interesses. O seu desporto favorito é o futebol, mas desde miúdo, passava as tardes de domingo a ver jogos de basquetebol, andebol, futsal e hóquei nacionais.

Curioso em múltiplas áreas, o desporto não podia escapar do seu campo de interesses. O seu desporto favorito é o futebol, mas desde miúdo, passava as tardes de domingo a ver jogos de basquetebol, andebol, futsal e hóquei nacionais.

[my_elementor_post_nav_output]

FC PORTO vs CD TONDELA