cab futebol feminino

O Campeão voltou… e o título não escapou. O Atlético Ouriense voltou a sagrar-se campeão nacional de futebol feminino, depois de uma vitória caseira frente ao Clube Albergaria por 3 a 1. Os golos de Manaus (1) e Diana Silva (2) foram o culminar de um objectivo há muito seguido. Em dia de eleições europeias a equipa de Ourém – agora bicampeã – garantiu também a presença nos playoffs para a Champions Feminina do próximo ano. Depois de uma longa e muy disputada temporada, a festa voltou a ser vermelha.

Atlético Ouriense em festa após a conquista do campeonato pela segunda época consecutiva. Fonte: Nuno Abreu / Notícias de Ourém
Atlético Ouriense em festa após a conquista do campeonato pela segunda época consecutiva.

Fonte: Nuno Abreu / Notícias de Ourém

Uma longa estrada rumo ao bi

Muito antes do apito inicial, as atletas de Ourém sabiam que estavam obrigadas a ganhar para garantir o título de campeão. A vitória absolutamente fulcral por uma bola a zero sobre o A-dos-Francos na jornada anterior catapultou o Atlético Ouriense para o topo do campeonato, que havia sido liderado pela equipa das Caldas da Rainha praticamente desde o seu começo. Apenas um ponto separava as duas equipas à entrada da sexta e última jornada da fase de apuramento de campeão do campeonato nacional de futebol feminino, mas nem sempre assim o foi.

Anúncio Publicitário

Ao longo da época 13/14 que agora chega ao fim, muitos foram os obstáculos e adversidades que as atletas de Ourém tiveram de enfrentar. Depois de terem sido eliminadas dos playoffs de acesso à Liga dos Campeões (a passagem é um feito ainda por atingir por uma equipa portuguesa), as campeãs em título fizeram jus à condição e tiveram um início de temporada fulminante, com bom futebol e vitórias expressivas. À sexta jornada da fase regular encontram o A-dos-Francos, equipa recém-promovida que, à semelhança do campeão, mantinha um registo de 5 vitórias em 5 jogos até ao momento. As jogadoras das Caldas saem vencedoras da primeira batalha, e iniciam assim a sua longa liderança no topo do campeonato nacional.

Mas a guerra ainda só há pouco havia começado, e o pior estava para vir. Duas jornadas depois, é o Clube Futebol Benfica que dita a segunda derrota do Ouriense. Numa fase regular de 10 equipas (18 jornadas) e extremamente aguerrida, o Atlético Ouriense somou 7 vitórias e duas derrotas na primeira volta, seguindo em segundo com 21 pontos, menos três do que o primeiro. Depois disso, a equipa orientada por Mauro Moderno voltou a perder por três vezes. A última, novamente com o Clube Futebol Benfica, foi devastadora para as ambições da equipa – cinco a zero, o que deixava o Ouriense a 9 pontos do líder, A-dos-Francos, e remetia a equipa para o quarto lugar, o último de acesso a fase de apuramento de campeão. Era agora mais do claro que algo não estava bem. Desinspirada, a equipa não era a mesma que havia destronado o 1º Dezembro um ano antes, e a revalidação do título começava a fugir a largos passos. Era preciso fazer alguma coisa, e rápido.

A derrota por 5 a 0 em Benfica foi um verdadeiro ponto de viragem para a equipa de Ourém Fonte: futebolfemininoportugal.com
A derrota por 5 a 0 em Benfica foi um verdadeiro ponto de viragem para a equipa de Ourém.

Fonte: futebolfemininoportugal.com

Após o desaire em Benfica, Mauro Moderno abandona o comando técnico da equipa. Marco Ramos, treinador das camadas jovens do clube com provas dadas e conhecedor da estrutura do Ouriense, é o substituto. A fase de apuramento de campeão estava apenas a duas jornadas de distância. A situação não era fácil. Em Ourém receava-se que a equipa já fosse tarde demais para um ataque bem-sucedido ao título, com Clube de Futebol Benfica fortíssimo na parte final da fase regular, um Albergaria sempre perigoso e um A-dos-Francos que teimava em não sair da frente do campeonato.

Mas o campeão em título mostrou as suas verdadeiras cores. Sob a liderança de Marco Ramos e com um espírito renovado, o Atlético Ouriense carimbou a passagem à final da Taça de Portugal feminina, a jogar-se dia 7 de Junho no Jamor, e entrou fortíssimo na fase de apuramento do campeão nacional. Depois de ter batido em casa o A-dos-Francos por 1 a 0 e ter finalmente passado para a frente da classificação, seguia-se o jogo da derradeira decisão, desta vez contra o Clube Albergaria. Com o A-dos-Francos a ter de fazer uma complicada deslocação ao terreno do Clube Futebol Benfica, o tão ansiado título estava agora à distância de uma vitória. Era o tudo ou nada, e as jogadoras de Ourém sabiam-no.

O Campeão Voltou

Obrigadas a ganhar para assegurarem o título, o Atlético Ouriense entrou em campo ciente de que ainda nada estava garantido. Organizadas no 4-4-2 losango que tanto as caracterizou ao longo da temporada, as campeãs em título mostraram rapidamente ao que vieram, com Manaus a abrir o marcador logo aos 5 minutos de jogo. A avançada cabo-verdiana, que assinou grandes exibições na recta final da temporada, rematou de ângulo apertado e rapidamente pôs o Ouriense bem colocado para a renovação do título de campeão nacional. Aos 22 minutos, balde de água fria para os que já contavam com uma calma vitória das atletas de Ourém – Andreia Norton empata a contenda para o Albergaria com um potente cabeceamento no coração da área. Ao intervalo, tudo empatado. A ansiedade começava a apoderar-se da equipa do Ouriense, que tinha 45 minutos para garantir o bicampeonato. No segundo tempo, Diana Silva foi a heroína da tarde depois de ter assinado dois golos de belo efeito “à ponta-de-lança”, como se diz na gíria.

Diana Silva rubricou uma excelente exibição na segunda parte do encontro, tendo sido a autora dos dois golos que deram a vitória à equipa de Ourém Fonte: Nuno Abreu / Notícias de Ourém
Diana Silva rubricou uma excelente exibição na segunda parte do encontro, tendo sido a autora dos dois golos que deram a vitória à equipa de Ourém.

Fonte: Nuno Abreu / Notícias de Ourém

A avançada internacional por Portugal, de apenas 18 anos, foi responsável por um belo chapéu na sequência de um canto aos 66 minutos e mostrou uma frieza aterradora ao finalizar uma jogada de contra-ataque aos 79. No final, até podiam ter perdido (o A-dos-Francos perdeu por 2 a 0 em casa do Clube Futebol Benfica), mas vale a pena ver e rever os melhores momentos do jogo que consagrou o Atlético Ouriense como campeão nacional de futebol feminino pela segunda vez consecutiva. E como no futebol é sempre melhor ver do que ler, deixo o leitor com a reportagem que o tvfatima.com fez do jogo entre Ouriense e Albergaria.

A festa que se seguiu foi imensa. Num clima de euforia e felicidade, a equipa e os adeptos do Ouriense celebraram intensamente a conquista do campeonato depois de uma época longa e muito disputada. Logo após o final do jogo o treinador Marco Ramos, um dos grandes responsáveis pela revalidação do título, revelou ao Bola na Rede estar orgulhoso pela conquista e enalteceu o esforço das jogadoras do Ouriense.

Bola na Rede – Marco Ramos, treinador do Atlético Ouriense by Rui Miguel Pereira on Mixcloud

Também ao Bola na Rede, e em pleno clima de festa, a capitã Ana Valinho relembra a excelente prestação da equipa na segunda fase do campeonato e prevê uma final difícil no Jamor frente ao Clube Futebol Benfica.

Bola na Rede – Ana Valinho, capitã do Atlético Ouriense by Rui Miguel Pereira on Mixcloud

De todos os gritos e cânticos entoados durante a festa do bi – e acreditem que foram muitos e vociferados a alto e bom som – houve um em particular que se destacou: “ O Campeão não Morreu, o Campeão não Morreu!” Pessoalmente, e depois de ter acompanhado a temporada do Ouriense desde o início, diria mais. Não só não morreu, como está vivo e recomenda-se. Depois da euforia, a próxima paragem é o Jamor, com a Taça de Portugal e a dobradinha em mente. Espera-se um grande encontro entre estas duas equipas para fechar com chave de ouro aquela que foi uma das temporadas mais bem disputadas do Futebol Feminino Nacional. Quanto ao Campeão, perdão, Bicampeão, está de volta e mais forte do que nunca. Em apenas 3 épocas a equipa feminina do Atlético Ouriense conseguiu a promoção para o escalão principal, venceu-o em ano de estreia e consolida agora a sua posição com boas hipóteses de levar também a taça. Se a direcção do clube mantiver a aposta no futebol feminino nos anos que se seguem, quem sabe até onde esta equipa poderá chegar. Afinal, a qualificação para a Champions é já daqui a uns meses…

Logo após o apito final, o treinador Marco Ramos é levantado pelas jogadoras que celebram a conquista)  Fonte: Nuno Abreu / Notícias de Ourém
Logo após o apito final, o treinador Marco Ramos é levantado pelas jogadoras que celebram a conquista.

Fonte: Nuno Abreu / Notícias de Ourém

Comentários

Artigo anteriorRevista do Mundial’2014 – Costa Rica
Próximo artigoCamisa “8”
O Rui jogou a trinco nas camadas jovens do União de Tomar, e reza a lenda que se fartava de fazer faltas. Muito mais moderado nos comentários, diz que quando teve a oportunidade de escrever sobre futebol e raparigas, não pensou duas vezes.                                                                                                                                                 O Rui não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.