O FC Porto, como havia comunicado, levou para os trabalhos de pré-temporada alguns jovens da formação azul e branca. Os resultados estão à vista de todos e só podem dar motivos para Sérgio Conceição sorrir.

Diogo Costa, Diogo Queirós, Diogo Leite, Madi Queta, Tomás Esteves, Fábio Silva e Romário Baró. São estes os nomes que ecoam no universo portista e deliciam os adeptos nos primeiros pormenores entre os mais velhos. Numa altura em que as formações dos clubes portugueses são mais valorizadas que nunca, eis que surgem estes jovens com pés e cabeça bem adultos.

Diogo Costa era um talento anunciado, um dos melhores da sua geração e que todos reconhecem como sendo o futuro dono das redes portistas. Por diversas razões, o futuro chegou mais cedo para o jovem português e este tem-se mostrado à altura. Na luta pela baliza com Vaná e Mbaye, é Diogo Costa quem tem levado a melhor e protagonizado exibições de grande qualidade, cumprindo sempre que é chamado a intervir, tendo inclusive dado a vitória ao FC Porto nos penáltis frente ao Bétis, na meia-final da Copa Ibérica.

Quem não tem sido bafejado pela mesma sorte é Diogo Queirós, capitão dos sub-19 do FC Porto na época passada e internacional pelas seleções jovens de Portugal, que viu a contratação de Marcano e o regresso de Osório taparem-lhe os caminhos da equipa A dos dragões. Por outro lado, Diogo Leite, à semelhança da última época, parece enquadrar o lote de defesas centrais de Sérgio Conceição e, com a sua tranquilidade dentro de campo, terá um futuro risonho sob o comando do técnico português.

Anúncio Publicitário

Madi Queta é, ao que tudo indica, outro dos excedentários do plantel 2019/2020. Apesar da renovação de contrato e de ter concretizado alguns golos na pré-temporada, o futuro deste jovem deve passar pela equipa B ou por um empréstimo, de forma a que mature os seus dotes técnico-táticos e dê o salto definitivo na próxima época.

Romário Baró tem sido o elemento em maior destaque na pré-época do FC Porto
Fonte: FC Porto

Por fim, o trio que anda nas bocas do mundo. Tomás, o novo número dois dos azuis e brancos, o que lhe vale uma responsabilidade extra olhando ao passado desse dorsal, tem feito esquecer os seus 17 anos e tem impressionado tanto adeptos como equipa técnica com a sua lucidez, o seu bom posicionamento defensivo, os seus pormenores técnicos e a sua luta constante, numa posição que, em julho, estaria destinada ao reforço Saravia, mas que agora não gera consenso entre os adeptos, depois das boas exibições deste jovem.

Fábio, a grande promessa no reino do dragão, mostrou ser uma opção válida para o treinador portista nos minutos em que esteve em campo, que não poderiam ter sido mais face à numerosa concorrência para a frente de ataque portista. O jovem avançado mostrou garra, mostrou ser tecnicamente muito evoluído e, acima de tudo, mostrou ter faro de golo. 17 anos e um golo que deu a Copa Ibérica ao FC Porto, MVP na partida, apesar de ter entrado já nos minutos finais da mesma. Na apresentação oficial aos adeptos, em pleno Estádio do Dragão, novamente Fábio, com a sua irreverência e vontade de se mostrar, criou um lance que só não deu golo por centímetros em falta a Otávio.

Romário, o MVP da pré-época portista, um “touro” no meio-campo, um jovem cheio de “genica”, que não se faz rogado perante os mais velhos e recupera bolas, progride com a bola colada ao pé, executa passes longos e curtos na perfeição, chega à área para finalizar, está em todo o lado. Tem sido uma peça fundamental no meio-campo azul e branco e Sérgio Conceição não tinha como não perceber isso, tendo-o colocado na equipa titular no primeiro jogo da equipa no Dragão. E que bem que o “ miúdo” respondeu. Melhor jogador em campo na minha opinião, um poço de força e determinação com um recorte técnico-tático invejável para a idade. Muitos dores de cabeça virão para os adultos, que terão de se empenhar para conseguir roubar o lugar ao jovem Baró.

Depois de conquistada a Youth League, muito se especulou em volta destes jovens com um talento acima da média. Agora, junto dos mais velhos, têm vindo a confirmar esses dotes e a mostrar que a idade é, realmente, só um número.

Foto de capa: FC Porto

artigo revisto por: Ana Ferreira