atodososdesportistas

Hoje o dia acordou cinzento, mais cinzento do que nunca, na vida de um Portista. Ontem foi igualado o pior registo europeu de sempre da equipa azul e branca: 6-1. Estes são os números, não devemos querer escondê-los ou omiti-los. Perdemos; fomos massacrados pela máquina alemã, que entrou com um resultado em mente: demolir uma desfalcada equipa portuguesa. Não vou falar no básico argumento de “se Danilo, Alex e Tello jogassem, a história era outra”, pois isso é por demais evidente (basta ver como surgiram os golos dos germânicos e percebe-se logo isso). Vou antes falar do que vem aí: Benfica. Temos mais uma equipa vermelha no nosso caminho, mais um jogo decisivo, mas esta equipa é muito (mas muito) mais acessível do que o Bayern, e temos de ganhar para limpar a péssima imagem deixada a nível europeu!

Apelo a todo o Portista que se levante do sofá, deixe as mágoas de lado e perceba que um jogo não altera um passado vitorioso, um passado (recente) que nos faz ser a referência internacional quando se fala de Portugal, a par de uns “tais” de Mourinho ou Cristiano Ronaldo. Continuamos a ser enormes, gigantescos e respeitados, e as “graçolas” vindas de outros lados por parte dos rivais só me fazem lembrar um Celta de Vigo-Benfica (7-0) ou um Sporting-Bayern (total 1 – 12), por isso, em nada me afectam. Só me interessa o meu Porto, e é isso que quero ver na Luz! O Porto que demoliu o Sporting em pleno Dragão, ou até mesmo o Porto que perdeu mas dizimou o Benfica na primeira volta (só espero diferente resultado, lógico). É tempo de nos unirmos, contra tudo e contra todos, e rumar contra aquilo que, segundo o que temos visto, não se quer: um Porto justamente campeão! E o jogo da Luz é decisivo para tal.

Ainda ontem andava pela página da Comunidade ‘Bola na Rede’, no Facebook, e comentei com um outro interveniente em determinada publicação: “O Porto devia jogar na Liga Inglesa”. Reitero isso. Não só não existiriam “colinhos” como ainda teríamos adeptos que apoiariam a equipa na vitória e na derrota, que respeitariam os jogadores como seres humanos e, acima de tudo, só quereriam ver o desporto que amam: futebol.

Mas estamos em Portugal, e fiquei contente por acordar e saber que meio milhar de adeptos se deslocou ao aeroporto para receber a equipa com palavras de incentivo, o que pode bem ser determinante para o “clássico”. Parabéns e obrigado a todos os Dragões que foram verdadeiros adeptos de uma equipa que sabe que deixou mal os seus fãs. Deixou mal, mas não envergonhou! Envergonhar seria não estar ali, depois de, até ao apito inicial, ser a equipa com melhores registos em prova. Dias maus todos temos, e não foi o jogo de ontem que deixou de fazer de Marcano o melhor central em Portugal, de Jackson um dos melhores avançados da Europa ou de Quaresma o ‘Mustang’ de sempre. Parafraseando Manuel Cruz, dos Ornatos Violeta: “É só mais um dia mau”. E sabemos que, volta e meia, estes dias acontecem.

Anúncio Publicitário

Por fim, tenho de deixar uma palavra de solidariedade aos bons adeptos que existem do Benfica e ficar solidário com eles em mais uma vergonhosa acção de marketing por parte do gabinete vermelho: a do “#colinho”. Li, reli e voltei a ler comentários de benfiquistas sérios (alguns de nome vincado na comunicação social) completamente enojados com esta triste campanha: não basta este campeonato já estar adulterado como se tem visto, ainda “brincam” com o próprio fogo, que não os tem queimado, mas tem impedido os outros de justamente passar por ele. Isto é gozar com o povo, mas enfim, infelizmente ainda há quem se reveja e compre o “#colinho” que, sem se comprar, já se viu.

Espero um grande clássico e sem casos de arbitragem. Que ganhe a melhor equipa (que é o Porto) e a que jogue melhor (aí depende do jogo). Serão 90 minutos que podem fazer desta época um “fracasso” ou a época da reconquista de um troféu que (justamente) já praticamente estaria no Dragão!

Vamos lá, Portistas!

Foto de capa: Página de Facebook do FC Porto