Faltam cinco jogos para o campeonato terminar e o FC Porto só precisa de três vitórias para voltar a ser campeão nacional, numa temporada atípica. Após o regresso do campeonato, a equipa de Sérgio Conceição soma três vitórias, uma derrota e um empate. No entanto, para além destes números, há uma estatística que deve ser evidenciada: os quatros jogos consecutivos sem sofrer golos. Um registo inédito esta temporada que mostra um FC Porto mais consistente no setor defensivo.

Esta época, a equipa do FC Porto ainda não tinha conseguido estar quatro jogos consecutivos sem sofrer golos, um marco que atingiu na Mata Real depois de ter vencido o FC Paços de Ferreira por 1-0, na última jornada. O melhor que a equipa de Sérgio Conceição tinha conseguido até então tinham sido três jogos consecutivos sem sofrer golos a contar para todas as competições. Conseguiu esse feito três vezes, mas só agora conseguiu os quatros jogos de baliza inviolável.

Com a baliza inviolável, a caminhada rumo ao título está mais fácil. Conseguiu esse feito três vezes, mas os quatros jogos de baliza inviolável.
Na Mata Real, diante do FC Paços de Ferreira, o central marcou o golo decisivo e ajudou a equipa a prolongar o registo de quatro jogos consecutivos sem sofrer golos
Fonte: Diogo Cardoso / Bola na Rede

Depois da derrota em FC Famalicão (2-1), Marchesín não consentiu mais golos na baliza portista. Muito mérito para o guarda-redes, mas também para a linha defensiva, que aliás sofreu várias alterações no decorrer das jornadas. No regresso do campeonato, o treinador já não pôde contar com Marcano, que sofreu uma rotura de ligamentos e é baixa para muitos meses. Só aí já trouxe mudanças, com a inclusão de Mbemba ao lado de Pepe. A dupla de centrais foi aliás a única que se manteve intacta na defesa, isto porque o lado esquerdo já contou com Alex Telles, Manafá e Diogo Leite. Assim como o lado direito que já teve Corona, Manafá e a estreia de Tomás Esteves. Apesar deste registo de muita instabilidade – devido a lesões e castigos -, que obrigou a várias trocas constantes, a equipa portista revelou maturidade e capacidade de superação que a tornou a equipa menos batida do campeonato, com apenas 18 golos sofridos.

Em dois jogos – contra o CS Marítimo e FC Paços de Ferreira – a equipa apenas venceu pela margem mínima (1-0), o que significa que o setor defensivo tem cada vez mais impacto, especialmente se analisarmos que no último jogo, na Mata Real, foi o central Mbemba o autor do golo decisivo. Na equipa de Sérgio Conceição, quem marca mais são os defesas e são também eles os responsáveis por haver tão poucos golos sofridos. É caso para dizer que quem tem a defesa portista tem (quase) tudo.

Artigo revisto por Inês Vieira Brandão

Comentários