Anúncio Publicitário

Numa altura em que a direção continua a preparar a próxima temporada, são anunciadas chegadas que podem ser prenúncio de saídas há muito esperadas. Um dos nomes mais falados para deixar o clube é o central Diogo Leite. Um cenário que aliás já tinha sido falado, mas que pode ter tido algum retrocesso com a pandemia, e voltou a ganhar força com a conquista do campeonato e da Taça de Portugal.

O jovem portista de 21 anos, formado no clube, chegou à equipa principal pelas mãos de Sérgio Conceição na época de 2018/2019. Começou a temporada a titular, e até marcou um golo nos primeiros jogos, mas a chegada de Pepe e o bom entendimento com Felipe não permitiram ao jovem portista ter muitas oportunidades, numa altura em que Militão também era opção. Todos esses fatores explicam o facto de o atleta ter feito apenas seis jogos pela equipa principal e na restante temporada ter andado entre a equipa B e os juniores.

Anúncio Publicitário

No último ano, a história foi outra e o central teve mais oportunidades, conseguindo realizar 18 jogos, mas, mais uma vez, a experiência de Pepe e Marcano falou mais alto e foram eles os homens de confiança de Sérgio Conceição, deixando assim Diogo Leite fora das opções da equipa titular. Ainda assim, o central tem uma qualidade inegável que fez com que Sérgio Conceição pedisse a continuidade do português no clube.

 

Diogo Leite de malas feitas para Espanha e o substituto no FC Porto. Mas tendo em conta a necessidade do FC Porto em vender jogadores.
Diogo Leite está na iminência de reforçar o Valência CF
Fonte: Diogo Cardoso / Bola na Rede

As boas exibições realizadas e o facto de estar no começo da carreira fez com que alguns clubes ficassem com o interesse redobrado no atleta no final do campeonato. Com o português a ter contrato até 2023, foi o Valência CF o clube que mostrou mais interesse ao oferecer 15 milhões de euros mais cinco milhões de bónus no caso de haver rendimento do jogador. Ainda assim, o FC Porto pode estar a tentar subir a parada para um total de 20 milhões, que é aliás apenas metade da cláusula do jogador. Nesta fase, a situação complica-se, uma vez que a pandemia fez com que o valor dos jogadores no mercado baixasse consideravelmente.

Mas tendo em conta a necessidade do FC Porto em vender jogadores, este negócio tem pernas para andar. Confirmando-se esta saída, Sérgio Conceição fica com Pepe, Marcano, Mbemba e ainda Diogo Queirós para o centro da defesa. Este último já regressou do empréstimo da última temporada ao Mouscron, da Bélgica, e já está a treinar com a equipa B para ganhar forma.

Artigo revisto por Joana Mendes

Anúncio Publicitário