A CRÓNICA: A DEFESA GARANTE A QUALIFICAÇÃO

FC Porto e Manchester City encontraram-se no Estádio do Dragão para disputar o jogo referente à quinta jornada do grupo C da Liga dos Campeões. Os dragões tinham uma missão clara: fazer, pelo menos, um ponto, para garantir a qualificação para os oitavos de final, fase da prova milionária em que os comandados de Pep Guardiola já se encontravam.

À semelhança do jogo em Manchester, o FC Porto definiu, como estratégia principal, manter um bloco coeso atrás, de forma a controlar os danos que as individualidades do City poderiam causar. Assim que tinham a bola em sua posse, os dragões procuravam esticar o jogo de forma rápida para apanhar o City, naturalmente balanceado para a frente, desorganizado, mas não conseguiram definir bem a transição ofensiva.

Tudo isto resume uma primeira parte dominada pelos citizens, mas sem muitos lances de perigo para a baliza de Marchesín. Curiosamente, os lances mais perigosos foram repartidos: um remate de Sterling que Zaidu tirou em cima da linha de golo para o lado do City e uma cabeçada, após o habitual lançamento lateral para a área, de Diogo Leite, que obrigou a uma defesa atenta de Ederson.

A segunda parte e o consequente cansaço dos atletas trouxeram mais oportunidades para o jogo, mais concretamente para o Manchester City. Com a mesma toada de jogo, os lances de maior perigo começaram aos 58′. Foden desmarcou Sterling que, na cara de Marchesín, não conseguiu ultrapassar o guarda-redes portista. Aos 68′, os homens de Pep Guardiola tiveram a melhor oportunidade do jogo, com Sterling, mais uma vezz, a não conseguir passar por Marchesín e a bola a sobrar para Rúben Dias que, a escassos metros da baliza, lembrou todos os que assistiam que era defesa central, e tirou a bola da baliza no que era um lance de golo muito provável.

Anúncio Publicitário

Aos 75′, Bernardo Silva entrou, com mais fulgor, na partida, e pôs à prova Marchesín, que respondeu afirmativamente. Este duelo que se viria a repetir aos 79′, com Bernardo em posição privilegiada a atirar para uma defesa espantosa de Marchesín, muito rápido no reflexo.

O City procurou incessantemente o golo e aos 80′ chegou mesmo, mas foi invalidado pelo Vídeo-árbitro. Gabriel Jesus cabeceou para mais uma grande defesa de Marchesín, mas ficou com a recarga e empurrou para o fundo das redes. Com tudo de volta à estaca zero, Eric García, já perto do final, desviou com perigo uma bola cruzada a partir do corredor direito.

No final dos 90 minutos, o FC Porto conseguiu manter o nulo no marcador e somar assim o ponto que faltava para carimbar a passagem aos oitavos de final da Liga dos Campeões.

 

A FIGURA

Fonte: Diogo Cardoso / Bola na Rede

Marchesín – O guarda-redes argentino do FC Porto agigantou-se na baliza dos azuis e brancos e anulou todas as ofensivas inglesas que passaram no último terço portista. O guardião totalizou 5 defesas, algumas delas de enormíssima qualidade.

O FORA DE JOGO

Ferran Torres – O avançado espanhol passou completamente ao lado do jogo, muito por culpa da boa coesão defensiva do FC Porto.

 

ANÁLISE TÁTICA – FC PORTO

O FC Porto apresentou-se com três defesas centrais (Diogo Leite como defesa mais central), formando uma defesa a cinco. Com Otávio, Uribe e Sérgio Oliveira no setor intermédio, sobraram Marega e Corona para tentar causar estragos nas transições ofensivas.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Marchesín (9)

Mbemba (6)

Diogo Leite (7)

Sarr (6)

Manafá (6)

Uribe (6)

Sérgio Oliveira (6)

Zaidu (6)

Otávio (6)

Corona (6)

Marega (6)

SUBS UTILIZADOS

Luis Díaz (6)

Evanilson (6)

Nanu (6)

Fábio Vieira (-)

 

ANÁLISE TÁTICA – MANCHESTER CITY FC 

O Manchester City, desde cedo, balanceou-se para a frente e ocupou, em posse, o meio-campo portista. Com Eric García como pêndulo defensivo, os citizens procuraram balancear a defesa portista e criar vantagens no bloco azul e branco.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Ederson (6)

João Cancelo (6)

Eric García (6)

Rúben Dias (5)

Zinchenko (6)

Rodri (6)

Fernandinho (5)

Foden (6)

Bernardo Silva (6)

Sterling (7)

Ferran Torres (4)

SUBS UTILIZADOS

Gabriel Jesus (7)

 

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

FC Porto

Bola na Rede: Diogo Leite entrou no onze e cumpriu durante os 90 minutos. O que é que o Sérgio tem a dizer da exibição do jovem central no jogo de hoje?

Sérgio Conceição: O Diogo tem uma concentração competitiva acima da média, ele assimilou bem no pouco tempo que tivemos para trabalhar. Ele esteve bem dentro daquilo que lhe foi pedido. A atuação de todos os jogadores no processo defensivo foi mais alta que no processo ofensivo, mas tem que ver com o poderio do adversário.

Manchester City FC

Bola na Rede: No final dos 90 minutos, acha que a opção pela utilização de Fernandinho e Rodri se revelou demasiado defensiva para o que foi o jogo?

Pep Guardiola: Não importa como jogamos em termos táticos. Jogamos incrivelmente bem, não sofremos um único ataque. Eles são uma das melhores equipas em Portugal, têm muita qualidade. Viemos aqui para terminar em primeiro. Muitos parabéns à minha equipa por esta fase de grupos. Jogamos com personalidade, com coragem. Não é fácil com oito jogadores dentro da área. Eles são muito fortes e os laterais são muito rápidos. Mesmo com isso, criamos chances. Isso é o mais importante.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome