tinta azul em fundo brando pedro nuno silva

Na segunda jornada da Taça da Liga, FC Porto e União da Madeira defrontaram-se no Estádio do Dragão, com a equipa portuense a apresentar um onze alternativo: Helton, Ricardo, Reyes, Marcano, Jose Ángel, Campaña, Ruben Neves, Evandro, Quintero, Ivo Rodrigues e Adrián López foram titulares. Ivo Rodrigues fez o seu primeiro jogo pela equipa A, mas o destaque foi para Helton – o capitão voltou, para alegria dos portistas.

Com a pressão do lado do Porto, o jogo foi assumido pelos dragões, embora a primeira jogada de perigo tenha sido dos madeirenses. De resto, apesar da circulação e posse de bola ter sido quase monopolizada pelo Porto, o União da Madeira saiu sempre com qualidade para o contra-ataque, errando principalmente no último passe. Aos 17 minutos, Ivo Rodrigues podia ter inaugurado o marcador, após um bom cruzamento de Quintero, mas o jogo continuava aborrecido e sem grandes momentos de brilhantismo, com um Porto espalhado ao longo do campo fazendo uma circulação larga. Aos 25 minutos, numa jogada individual, Quintero deu um remate no marasmo do jogo, inaugurando o marcador.

A partir daqui o jogo ficou ainda mais controlado pelo Porto, como espelham alguns lances perigosos – geralmente com o condão do pé esquerdo de Quintero -, entre eles mais um lance de finalização de Adrián, que, claro, foi defendida pelo guardião insular. Aos 39’, o União mandou uma bola ao ferro, mostrando a matreirice que caracterizou o seu jogo.

O regresso de Helton aos relvados foi um dos momentos altos da noite  Fonte: Facebook do FC Porto
O regresso de Helton aos relvados foi um dos apontamentos mais marcantes da noite
Fonte: Facebook do FC Porto

A segunda parte começou com uma alteração: Ivo Rodrigues cedeu o seu lugar a Ricardo Quaresma,  que marcou o segundo tento portista num remate que ainda tocou num defesa insular. A resposta madeirense foi rápida: aos 57’, Élio Martins reduziu o marcador.

Anúncio Publicitário

O FC Porto teve sempre as linhas afastadas e nunca precisou de fazer um grande pressing, devido à ineficiente pressão do União da Madeira. Perante este “adormecimento”, Lopetegui substituiu Ruben Neves por Óliver Torres e o jogo melhorou um pouco com a irreverência e velocidade do espanhol , que se ocupou da transição entre o meio-campo defensivo e ofensivo, mas ainda assim nunca se viu uma grande acutilância ofensiva. Aos 87’ minutos, Evandro marcou um penalty, dando (mais) descanso aos portistas.

Este foi um jogo com pouca história e pouco espectáculo que serviu essencialmente para dar mais minutos à segunda linha portista. Com o grande objectivo cumprido, a conquista dos três pontos, o FC Porto conseguiu isolar-se na liderança do grupo D.

A Figura

Juan Quintero – Foi a estrela do meio-campo portista. Fez o jogo azul e branco rodar e teve apontamentos de classe.

O Fora-de-Jogo

Ivo Rodrigues – Esteve um pouco apagado mas tem desculpa, pois não está entrosado com os seus companheiros. Esperemos que seja uma aposta de futuro dos dragões.

 

Foto de capa: Facebook do FC Porto