O FC Porto estreou-se na passada quarta-feira na Liga dos Campeões, em Inglaterra, frente ao Manchester City FC. A partida terminou com a derrota portista, mas nem tudo foi negativo para o treinador Sérgio Conceição que apostou nos reforços e teve bons indicadores. No onze titular, o técnico azul e branco apostou em Zaidu e Sarr. Com o primeiro a fazer a sua estreia absoluta em provas europeias.

O reforço portista, que chegou do CD Santa Clara, acabou a noite com nota positiva. Muito forte nos duelos individuais, ao conseguir conter o poderio ofensivo inglês, e ainda importante no ataque, com arrancadas que deixavam o adversário para trás.
A inexperiência não se fez sentir e a aposta em Zaidu vai tornar-se constante, ele que está a colmatar a ausência de Alex Telles. Uma tarefa difícil, mas que o lateral já mostrou que pode ser capaz.

A inexperiência não se fez sentir e a aposta em Zaidu vai tornar-se constante, ele que está a colmatar a ausência de Alex Telles.
O lateral Zaidu esteve num bom nível no jogo frente ao Manchester City FC
Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

Por falar em estreias, Sarr regressou às competições sete meses depois. O lateral já não jogava desde Março e fê-lo numa prova de fogo na liga milionária. Inicialmente demonstrou alguma falta de ritmo – fruto da paragem -, mas com o decorrer do tempo conseguiu subir de rendimento. Apesar dos erros iniciais, o atleta conseguiu depois fazer cortes importantes.

Para além de Zaidu e Sarr, também Nanu, Taremi e Evanilson foram a jogo. No entanto, o tempo em que estiveram em jogo não permitiu analisar com precisão o potencial dos atletas. O resultado também pode ter influenciado e a falta de oportunidades enquanto estavam em campo também.

Anúncio Publicitário

No entanto, Taremi, à semelhança do que tem feito quando entra nos jogos do campeonato, deixou bons indicadores. A qualidade e técnica estão lá. Precisa apenas de ser mais rentabilizada para os resultados serem ainda melhores.
Nanu revelou alguma inexperiência e deixou que os nervos falassem mais alto. No caso de Evanilson a situação é idêntica. O atleta teve poucas oportunidades para mostrar serviço e quando as tinha, não as soube aproveitar.

Em suma, esta primeira jornada terminou com a derrota, mas a reação portista ao poderio inglês não podia ser melhor. O treinador Sérgio Conceição estudou bem o adversário e conseguiu apostar nos reforços que deram uma boa resposta. No entanto, os condicionalismos da arbitragem falaram mais alto. No próximo jogo, a equipa portista tentará mostrar a outra face.

Artigo revisto por Inês Vieira Brandão

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome