Após a expressiva revolução proporcionada pelo FC Porto, nos últimos dias de defeso, as principais figuras do plantel partiram para outros clubes, consecutivamente e como manda a lei do futebol, chegaram novas caras prontas a defender as cores dos dragões. Nesta “dança”, no onze ficou uma lacuna, mais propriamente no lado esquerdo da defesa, posição que pertenceu ao, antes, indiscutível Alex Telles.

Com a partida do brasileiro para o Manchester United FC, a vaga à esquerda está aberta, resta agora saber quem será o herdeiro da posição.

Neste momento, os principais candidatos são Zaidu e Malang Sarr, e, estando ambos aptos, prometem, seguramente, dar dores de cabeça a Sérgio Conceição na nova disposição do onze inicial. Fica a questão, qual dos dois será dono do lugar?

Anúncio Publicitário

Veremos, Zaidu, de 23 anos, chega do CD Santa Clara após uma temporada onde foi uma das figuras essenciais no conjunto açoriano liderado por João Henriques. O nigeriano tem um perfil que agrada a Sérgio Conceição, faz o corredor por inteiro facilmente – no encontro contra o Marítimo entrou para a posição de extremo – o que lhe permite ser importante em momentos de bola parada.

Junta ainda capacidade de defender jogadores rápidos mantendo-os longe da área, além de que já está entrosado nos mecanismos da equipa, já trabalha com grupo desde o dia 30 de agosto.

Em contrapartida, apresenta algumas limitações no momento de um-contra-um, algo que pode dificultar a vida do defesa frente a jogadores mais técnicos e no momento do cruzamento muito característico do seu antecessor.

Por outro lado, Malang Sarr chegou a título de empréstimo por parte do Chelsea FC. Aos 21 anos é um dos defesas mais promissores do mundo (com 17 anos era titular pelo OGC Nice), polivalente, pode atuar também como central. É forte tecnicamente, uma grande arma no momento de saída em construção.

Tem uma das características mais valorizadas tanto para o treinador como para os adeptos, não desiste das bolas e pressiona os atacantes contrários, em momentos de contra-ataque pode ser, também, bem aproveitado já que possui um passe longo cheio com critério.

A tenra idade fez com que na última temporada perdesse algum do protagonismo o que o leva a cometer vários erros em momentos cruciais da saída com bola. Além disso, só chegou no último dia do defeso por empréstimo, uma medida sempre arriscada, valorizar elementos de outros clubes acaba por ser uma maneira de adiar um problema, quando a acabar a temporada o francês volta para o clube inglês.