O CF Belenenses e o FC Porto disputaram partida válida para a 2ª jornada da Primeira Liga. O jogo foi disputado no Estádio Nacional, local onde o clube lisboeta jogará as suas partidas nesta época. Infelizmente por questões políticas o CF Belenenses não poderá atuar no histórico Estádio do Restelo. Apesar de ser o clube visitante, o FC Porto teve a maior parte do estádio ocupada pelos seus adeptos. Cerca de 12 mil portistas deslocaram-se ao Jamor. As duas equipas venceram em suas estreias e uma vitória no jogo de hoje manteria o clube com 100% na competição.

Abaixo o retrospecto dos últimos cinco confrontos entre as equipas:

26.11.16 – Belenenses 0 x 0 FC Porto

29.11.16 – FC Porto 0 x 0 Belenenses

Anúncio Publicitário

08.04.17 – FC Porto 3 x 0 Belenenses

04.11.17 – FC Porto 2 x 0 Belenenses

02.04.18 – Belenenses 2 x 0 FC Porto

Silas mandou a campo uma equipa com formação ofensiva. O 4x3x3 adotado pelo comandante tinha a intenção de explorar as jogadas pelas pontas. Licá e Fredy Ribeiro atuaram como extremos enquanto Keita ficava mais centralizado na área. Já Sérgio Conceição manteve a mesma equipa da estreia. O jovem defensor Diogo Leite permaneceu como titular, mesmo com a chegada do brasileiro Élder Militão. O FC Porto iniciou a partida no 4x4x2.

Nos primeiros 15 minutos de jogo o FC Porto teve um pouco mais de posse de bola, mas não conseguia criar nenhuma boa trama ofensiva. O CF Belenenses tinha muitas dificuldades de sair do seu campo defensivo e pouco arriscava.

O jogo seguia morno até aos 22 minutos. Em uma jogada pela ponta direita, o lateral Maxi Pereira cruzou na cabeça de André Pereira que mandou a bola no travessão do guarda-redes Muriel.

O lance fez muito bem à equipa visitante. Quatro minutos depois Alex Telles cobrou um livre na cabeça de Diogo Leite que não perdoou o arqueiro Muriel. Com esse “cabezazo” os portistas saíram na frente no marcador. Belenenses 0 x 1 FC Porto.

O FC Porto tentava explorar o lado direito do CF Belenenses que tinha como ala o médio, de origem, Hugo Viana. Viana demonstrou muita dificuldade em conter as investidas de Alex Telles e inclusive fez a falta que originou o golo portista. Falta essa desnecessária.

Apesar da vitória parcial, o treinador Sérgio Conceição não gostava da atuação da sua equipa e logo cedo mandou o médio Óliver ir para o aquecimento. Já o CF Belenenses fez um primeiro tempo razoável. Conseguiu neutralizar, até com tranquilidade, as tentativas portista mas pecava em sair para o jogo.

O defensor Diogo Leite foi o autor do único golo na primeira parte do jogo.
Fonte: FC Porto.

O segundo tempo mal havia começado e o FC Porto ampliou o marcador. Aos 30 segundos da segunda parte o médio Dálcio tentou recuar a bola para o seu guarda-redes, mas o portista Otávio viu bem o lance, se antecipou na jogada, driblou o guardião Muriel e tocou para a baliza. CF Belenenses 0 x 2 FC Porto.

Após o golo uma situação chamou a atenção. As câmeras flagraram o presidente portista, Pinto da Costa, e o presidente da SAD do CF Belenenses, Rui Pedro Soares, às gargalhadas. Que o portista estivesse feliz é perfeitamente normal, pois a sua equipa acabara de fazer um golo, mas o presidente da SAD do CF Belenenses demonstrar felicidade foi bastante estranho. Talvez isso seja o reflexo de toda conturbação que passou e passa o clube.

O FC Porto não teve muito tempo para comemorar o seu segundo golo. Aos 55 minutos o árbitro assinalou pênalti, com auxilio do VAR, a favor do CF Belenenses. Na cobrança Fredy Ribeiro diminuiu o marcador. CF Belenenses 1 x 2 FC Porto.

Para tentar dar mais velocidade ao ataque, Sérgio Conceição sacou o avançado André Pereira para dar entrada ao mexicano Corona. Já o treinador do CF Belenenses também modificava a sua equipe. Sacou o Licá, que teve atuação discreta na partida, para fazer entrar o avançado Hugo Almeida que tem como característica jogar mais na área. A ideia era explorar as bolas áreas com Almeida e Keita.

Aos 75 minutos o jogo era equilibrado.  O CF Belenenses agredia mais o FC Porto e teve o seu golo de empate não concedido graças a uma boa interferência de Iker Casillas. O FC Porto jogava mal e não conseguia atacar. Nem utilizar o contra-ataque, que estava a seu favor, a equipa conseguia. Óliver Torres, que substitui Otávio, entrou no relvado para dar uma melhor dinâmica ao meio campo portista, mas não foi eficiente e ajudou mais na marcação do que na criação.

A apatia do FC Porto no relvado foi castigada. Após cruzamento de Fredy Ribeiro o avançado Keita subiu sozinho para cabecear para o fundo da baliza de Iker Casillas. O CF Belenenses chegava a um justo empate. CF Belenenses 2 x 2 FC Porto.

O empate era o mais justo, mas o jogo só acaba quando o juiz apita. Aos 92 minutos Herrera rematou para a baliza e a bola desviou no braço do avançado Hugo Almeida dentro da área. Após consultar o VAR, o árbitro Carlos Xistra assinalou a penalidade. Na cobrança Alex Telles desempatou o confronto e confirmou a vitória portista no jogo. CF Belenenses 2 x 3 FC Porto.

O FC Porto não jogou bem, mas conseguiu três pontos importantíssimos na Primeira Liga. Já o CF Belenenses pôde sair do relvado de cabeça erguida, pois fizeram um bom jogo e neutralizaram em boa parte do confronto o seu adversário.

Onzes Iniciais:

CF Belenenses: Muriel; Diogo Viana (Sagna), Gonçalo Silva, Sasso e Bergdich; Nuno Coelho, Ljujic (Dálcio) e Lucca; Fredy, Keita e Licá (Henrique Almeida).

FC Porto: Casillas; Maxi, Felipe, Diogo Leite e Alex Telles; Otávio (Óliver), Sérgio Oliveira, Herrera e Brahimi (Hernâni); Aboubakar e André Pereira (Corona).