Longe de ser uma aposta de Sérgio Conceição no FC Porto, Felipe Anderson e Shoya Nakajima estão cada vez mais perto da porta de saída.

Com a abertura do mercado, e com os nomes de Pêpê e Hulk apontados ao plantel dos dragões, a concorrência no plantel para a posição torna-se complicada para os dois extremos.

O internacional brasileiro tem estado fora das opções dos azuis e brancos, tendo sido utilizado a última vez na Grécia frente ao Olympiacos, quando a passagem para a próxima fase já estava garantida. Tirando isso, Sérgio Conceição utilizou-o em cinco ocasiões, nunca a tempo inteiro.

Fonte: Diogo Cardoso / Bola na Rede

Nos seus tempos áureos, Felipe Anderson seria sem dúvida uma das principais estrelas da equipa e um dos principais desequilibradores. Quem acompanha a carreira do jogador sabe que ele tem o seu nome bem vincado no futebol internacional, com provas dadas, o que o levou a representar a “canarinha” e o West Ham a desembolsar 40 milhões pelo seu passe.

Anúncio Publicitário

Nesta passagem pelos portistas, não é isso que se tem visto, aquilo que podia ter sido uma oportunidade de redenção do jogador no mundo do futebol, tem saído completamente ao lado e o extremo brasileiro tem ficado aquém das espectativas. Qualidade não lhe falta, por isso o problema pode estar mais relacionado com o foro psicológico. Qualquer adepto do FC Porto e de futebol gostaria de o ver a espalhar a sua magia nos relvados dos dragões, mas como não tem sido o caso, talvez a melhor solução seja mesmo terminar o empréstimo e procurar oportunidades noutro lado.

Em relação a Nakajima, não tem sido fácil a reintegração no plantel depois de todas as complicações na quarentena quando se afastou do plantel. O internacional japonês jogou um pouco mais, marcou presença em nove partidas, mas apenas em duas foi titular e na I Liga soma só 143 minutos, divididos por quatro jogos (um como titular e três como suplente utilizado).

A saída do antigo jogador do Portimonense está cada vez mais certa, o jogador deixou de treinar às ordens de Sérgio Conceição, e o empréstimo ao Al Ain do Emirados Árabes Unidos está perto de ser concretizado. O português e antigo capitão do FC Porto, Pedro Emanuel, poderá receber Nakajima num empréstimo de seis meses com opção de compra de 40 milhões.

Nunca é bom ver jogadores dotados de grande qualidade sair do Dragão, contudo o japonês poderá aproveitar o empréstimo para regressar à sua melhor forma e se a opção de compra não for exercida, regressar à cidade invicta com uma nova motivação e ajudar o plantel a atingir os objetivos.

Artigo revisto por Inês Vieira Brandão

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome