Num ano em que se tem falado muito de pérolas de formação em Portugal, colocamos frente a frente dois homens formados no Futebol Clube do Porto, dois pontas de lança, um que figura atualmente nos azuis e brancos e outro que foi vendido no final da época passada. São eles André Pereira e Gonçalo Paciência.

André Pereira é um avançado de 23 anos que dividiu a sua formação entre FC Porto, Leixões, Varzim e Sanjoanense, tendo-se destacado na época 2017/2018, na equipa B dos dragões, ao apontar 11 golos em 20 jogos. Esta boa primeira metade de temporada nos “bês” despertou o interesse de alguns clubes da primeira liga, nomeadamente do Vitória FC, que o adquiriu por empréstimo.

Nos sadinos, André Pereira continuou com boas prestações, em que marcou quatro golos em treze jogos e foi bastante influente na manobra ofensiva dos homens de Setúbal, e acabou por ser chamado de volta para o FC Porto para a presente época desportiva.

Um avançado robusto, com vários aspetos técnicos a melhorar e o instinto matador para aprimorar, tem vindo a fazer uma época de menor fulgor nos azuis e brancos, onde conta com 22 partidas disputadas e apenas três golos apontados, ele que começou a época como titular no onze de Sérgio Conceição.

André Pereira tem realizado uma época de pouco brilhantismo no Futebol Clube do Porto
Fonte: FC Porto

Já Gonçalo Paciência, de 24 anos, formado exclusivamente no FC Porto, é um avançado que prima pelo jogo aéreo, derivado da sua elevada estatura. O avançado português teve ainda passagens, por empréstimo, pelo Olympiacos, da Grécia, e por Rio Ave, Vitória FC e Académica, em Portugal.

Depois de ter participado na conquista do Campeonato Nacional a temporada passada, Gonçalo foi vendido ao Eintracht Frankfurt, da Alemanha. Um começo com o pé esquerdo, devido a uma lesão que o afastou dos relvados durante uma boa parte da temporada, mas que não o impediu de agora brilhar nos alemães, tendo, inclusivamente, quatro golos marcados em 11 jogos, com o último a ser apontado no Estádio da Luz, frente ao SL Benfica, em jogo a contar para os quartos de final da Liga Europa, e que os alemães perderam por quatro bolas a duas.

Enquanto André é mais rápido e joga como segundo avançado, podendo vir buscar jogo mais atrás e até jogar pelas alas, Gonçalo é um ponta de lança fixo, com habitat natural na área do adversário.

Veredicto: Na minha opinião, Gonçalo vence este frente a frente e deveria ter lugar no plantel principal do FC Porto. É um jogador mais esclarecido que André e, com a lesão de Aboubakar, os azuis e brancos precisam de um avançado mais fixo quando Tiquinho Soares não está nos seus dias. Para segundo avançado, ou avançado mais móvel, os dragões têm Marega e Fernando Andrade, pelo que, a meu ver, era melhor ter André Pereira num empréstimo a desenvolver as suas qualidades, do que Gonçalo vendido, sem hipótese de um regresso imediato.

Foto de Capa: FC Porto

Artigo revisto por: Jorge Neves

Comentários