Matheus Uribe foi uma das contratações do FC Porto no início da última temporada e custou cerca de 9,50 milhões de euros. O ex-jogador dos mexicanos do CF América foi considerado por muitos uma das revelações do campeonato e justificou, até ao momento, o montante investido.

A transferência, mesmo tendo sido cara, ainda para mais tendo em conta a temporal situação financeira, foi necessária para encontrar um substituto de Herrera, que tinha acabado de sair a custo zero para o Atlético de Madrid, e Uribe foi dado como solução. Embora não tenha tanta influência no momento ofensivo, Héctor também evoluiu nesse sentido e precisou de tempo para se afirmar nos dragões. É certo que Uribe é mais velho que o mexicano e conta igualmente com muitos jogos nas pernas, mas denotou-se rapidamente a sua adaptação ao futebol europeu.

Fonte: Diogo Cardoso / Bola na Rede

Foi dos jogadores azuis e brancos que mais encantou ao longo desta temporada e encheu ligeiramente os olhos da nação portista com as exibições iniciais, fazendo com que, ao longo do tempo, a maior parte percebesse que se tratava de um jogador com outras características, não tão valorizadas nos dias de hoje.

Matheus é daqueles jogadores que também fazem falta ao futebol na atualidade, pois não dá muito nas vistas, mas está no sítio certo no momento preciso e impede inúmeros ataques aos adversários, servindo como um estanque do setor defensivo. Por outro lado, faz também a equipa jogar e demonstra critério no momento do passe.

Anúncio Publicitário

Apesar de não ser tão deslumbrante como muitos da sua posição que vestiram a camisola azul e branca, é daqueles que ganha muitos pontos pela solidez oferecida ao clube, pela consistência demonstrada ao longo da época desportiva e pela garra depositada em cada lance.