fc porto cabeçalho

No dia de ontem decorreu a apresentação oficial da equipa principal de futebol do FC Porto à sua massa adepta. Com esperança e expectativas renovadas os sócios e simpatizantes do clube acorreram em massa e provocaram a primeira enchente do ano desportivo no Estádio do Dragão. As feridas parecem saradas e as pazes parecem feitas. Alguns proscritos foram aplaudidos e o treinador, Sérgio Conceição, foi a estrela de uma tarde/noite bastante agradável.

Este novo Dragão entusiasma. Mantém o 4x4x2 e a base da época passada (apenas Ricardo e Aboubakar não estavam na temporada que passou e ganharam bilhete de primeira classe para o onze inicial) mas as ideias e princípios de jogo são totalmente opostas. De um Dragão que dava primazia à organização defensiva e que raramente era apanhado ou apanhava os adversários em contrapé, vemos agora uma equipa com mais chegada à área adversária e que recupera a bola em zonas mais adiantadas.

Sérgio Conceição está, ainda, em estado de graça e por isso é cedo para retirar as devidas conclusões acerca da sua comunicação para o exterior. No entanto, aproveitemos enquanto ainda se fala mais de futebol do que dos árbitros.

Fonte: FC Porto
Fonte: FC Porto

Dizia o timoneiro azul e branco, ontem e após uma contundente vitória sobre os galegos do Deportivo da Corunha, que a base da equipa em termos de intérpretes transitava da equipa orientada por Nuno Espírito Santo, mas que as ideias e o que é pedido aos mesmos, como já referido há um par de parágrafos, é substancialmente diferente.

Anúncio Publicitário

A pressão alta parece palavra de ordem. Para isso muito contribuem Soares e Aboubakar que são exímios a massacrar as defesas tanto com como sem bola. Esta dupla, salvo um qualquer tipo de infortúnio, parece estar cimentada e desempenhará um papel decisivo no sucesso e insucesso do FC Porto. Assim que mantenham e aliem frescura física para pressionar e a habilidade para marcar golos durante o desenrolar de uma longa época e o FC Porto estará mais perto de se tornar campeão nacional. No jogo de ontem foi possível ver ambos a pressionar bem alto os defesas e o guarda-redes adversários bem como a defender na bandeirola de canto junto à área de Iker Casillas. Parece-me sintomático.

1
2
Artigo anteriorEnsaio sobre Geraldes
Próximo artigoUpgrade Pizzi
Fervoroso adepto do futebol que é, desde o berço, a sua grande paixão. Seja no ecrã de um computador a jogar Football Manager, num sintético a jogar com amigos ou, outrora, como praticante federado ou nos fins-de-semana passados no sofá a ver a Sporttv, anda sempre de braço dado com o desporto rei. Adepto e sócio do FC Porto e presença assídua no Estádio do Dragão. Lá fora sofre, desde tenra idade, pelo FC Barcelona. Guarda, ainda, um carinho muito especial pela Académica de Coimbra, clube do seu pai e da sua terra natal. De entre outros gostos destacam-se o fantástico campeonato norte-americano de basquetebol (NBA) e o circuito mundial de ténis, desporto do qual chegou, também, a ser praticante.                                                                                                                                                 O Bernardo escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.