fc porto cabeçalho

O que têm em comum Vitória de Setúbal, Marítimo e Boavista? A pergunta é simples e a resposta óbvia: foram estas as equipas com quem o Benfica perdeu pontos na agora finda primeira volta do campeonato. Em teoria, também perderam pontos no Dragão, mas na prática, olhando à forma como o jogo decorreu, parece-me justo dizer que nesse dia ganharam um ponto em vez de terem perdido dois. Mais não seja pelo facto de o terem festejado como tal. E o que fez no final de todos esses jogos Rui Vitória? Críticas às equipas de arbitragem.

Sem qualquer motivo aparente, o actual treinador dos Encarnados – que quando as coisas lhe correm de feição assume um discurso que parece copiado de uma candidata a Miss Universo ou de um vencedor do Prémio Nobel da Paz – atira-se à classe que em muito tem contribuído para o sucesso desportivo do Benfica nos últimos anos, sendo que na presente temporada têm sido mesmo fundamentais. Foi assim na recepção aos Sadinos, na visita à Madeira e por último após o empate a três golos frente aos Axadrezados.

Essas críticas dissimuladas de Rui Vitória logo têm eco nos meios de comunicação social oficiais e oficiosos das Águias, tendo as redes sociais um papel importantíssimo na campanha de vitimização de um clube que tem nos constantes prejuízos do FC Porto o mais forte trunfo na busca do tetracampeonato. É o polvo a trabalhar em todo o seu esplendor e com muito pouca gente com capacidade para fazer qualquer coisa.

A situação com Danilo Pereira frente ao Moreirense é o espelho do que se passa no futebol Fonte: Porto Canal
A situação com Danilo Pereira frente ao Moreirense é o espelho do que se passa no futebol nacional
Fonte: Porto Canal

Face a isto tudo, foi com algum prazer que vi a máscara cair uma vez mais àqueles que nas últimas semanas tudo fizeram para passar a ideia de que as queixas do FC Porto eram exageradas, que as arbitragens não são desculpa para os maus resultados e que, imagine-se, criaram a campanha “A culpa é do Benfica” para sacarem mais uns euros aos benfiquistas enquanto gozam de forma descarada com aqueles que ousam expor aquilo que tem sido uma sequência de situações estranhas sempre em seu favor.

Bastou uma arbitragem menos tendenciosa em favor de quem equipa de vermelho para que soasse o alerta de perigo nacional. Nem consigo imaginar o que aconteceria caso o Benfica tivesse de passar pelo que o FC Porto já passou na presente época.

A frase que mais ouvi nos últimos anos para legitimar cada jogo que os Encarnados ganhavam com interferências das equipas de arbitragem era que “no final, a balança entre prejuízos e benefícios equilibra-se”. Se isto é mesmo verdade, meus amigos benfiquistas, preparem-se porque na segunda volta do campeonato terão de ser prejudicados jogo sim, jogo não, para que a vossa balança não fique muito inclinada para o lado dos benefícios.

Foto de Capa: Sport TV/FC Porto

Comentários