Adriano Vieira Louzada tende a ser um nome capaz de criar um misto de sensações nos adeptos do FC Porto. Nascido há 39 anos no Brasil (Rio Branco), o “Macaco” Adriano – como ficou conhecido no reino do Dragão – deixou na Invicta a bonita marca de associar o seu nome a golos que, por sua vez, originaram títulos. A manchar a sua história de azul e branco fica na retina a forma atribulada como fechou o seu ciclo de dragão ao peito.

Conheceu pela primeira vez os cantos ao retângulo mágico em 1997, quando ingressou nos brasileiros do Juventus-AC e, depois de passagens por Portuguesa, Flamengo-SP, Botafogo-SP,  Vitória e Palmeiras, eis que chega a aventura europeia pela porta do CD Nacional. Foi de resto nos insulares que registou os melhores números da carreira, onde alcançou a fasquia dos 48 golos na marca redonda dos cem jogos. Esse excelente cartão de visita haveria de levá-lo até ao Dragão, em 2005, oferecendo aos azuis e brancos um total de 22 festejos em 66 aparições. Seguiu-se uma passagem fugaz pelo SC Braga, antes mesmo de voltar aos tempos de glória, já em 2011, na UD Oliveirense, com 14 golos em 33 jogos. Antes, porém, de referir o clima tenso que viveu nos últimos tempos no Dragão. Depois de rejeitar várias colocações que os responsáveis azuis e brancos lhe haviam proposto quando o seu contrato estava em vias de expirar e de se ter recusado a treinar, o avançado terá sido alvo de agressões numa saída noturna na cidade do Porto.

Adriano teve uma saída conturbada no FC Porto
Fonte: Reflexão Portista

Não obstante a esse período menos bom, destaque para os sete títulos que conquistou na carreira, todos ao serviço do FC Porto: quatro campeonatos, duas Taças de Portugal e uma Supertaça. Foram, portanto, quatro anos muito produtivos na Invicta.

Atualmente, encontra-se retirado das competições oficiais, depois de ter representado, em 2016, o clube da terra natal, o Rio Branco-AC. Mais tarde, haveria de lhe ser diagnosticado um princípio de AVC.

Anúncio Publicitário

Sempre tido como um predador nas áreas adversárias, o “Macaco” Adriano pode sempre mostrar os números totais que sustentam uma carreira de sucesso a quem nunca acreditou no seu valor: Falamos de 102 golos num total de 302 jogos, distribuídos por 17 clubes ao longo de quase duas décadas de futebol total.

Foto de Capa: FC Porto

artigo revisto por: Ana Ferreira