Anterior1 de 3Próximo

O Portimonense SC, verdadeiro “tomba-gigantes” da Liga NOS 2018/2019, recebeu o candidato ao título FC Porto que precisava de ganhar para se manter na corrida pelo campeonato. A manutenção da equipa do Algarve ainda não está assegurada, mesmo estando na 10ª posição e somar pontos neste jogo era crucial para que pudessem estar na Primeira Liga na próxima época. Não aconteceu, pois a dupla africana Brahimi e Marega estava nos seus dias e Herrera soube aparecer no sítio certo à hora certa.

Jogo de grande intensidade nos primeiros 45 minutos da partida. Com milhares de adeptos na bancada a apoiar a equipa azul e branca, o FC Porto entrou ao ataque procurando fazer rapidamente o golo e ficar por cima no marcador. Até a equipa de Sérgio Conceição fazer o 1-0, houve tempo para uma substituição por parte da equipa algarvia – Rúben Fernandes saiu com queixas musculares após disputar uma bola que seguia pelo ar, entrando assim Henrique – e houve tempo também para um lance polémico dentro de área – a bola bate em Jadson após remate de Marega e os jogadores do FC Porto ficam a pedir mão na bola.

Ao primeiro quarto de hora de jogo deu-se então o golo do Porto e foi Brahimi quem foi feliz. Grande passe em profundidade de Corona que isolou Marega e o maliano, já dentro de área, envia a bola para a entrada da área, aparecendo Brahimi e rematando para o fundo da baliza do Portimonense SC.

A equipa de Portimão quis responder ao golo do FC Porto e dois minutos depois Lucas Fernandes, após um grande passe de Aylton Boa Morte, aparece na cara do golo, mas Casillas diz “presente”. Lucas fez sofrer bastante a equipa azul e branca após o primeiro golo da partida, não só por esta oportunidade, mas por todas as outras que se seguiram. Aos 18 minutos ameaçou de livre direto, mas Casillas safou mais uma vez. Aos 19 minutos foi Lucas Fernandes a bater o canto e Soares, com a intenção de cortar, envia a bola ao poste.

O Portimonense SC voltou a ameaçar com muito perigo à meia hora de jogo por Aylton que fez um remate cruzado perigoso do lado esquerdo do ataque algarvio. Até ao intervalo a última ameaça foi mesmo pela equipa de casa e o responsável foi Tabata. Após receber a bola no lado direito, segue para o interior da área e remata cruzado, contudo, Casillas estava atento. A primeira parte espelhou uma exibição muito difícil para o FC Porto que teria de ser cauteloso caso quisesse ganhar o jogo.

Héctor Herrera esteve em grande neste jogo e coroou a exibição com um golo
Fonte: FC Porto

Iniciada a segunda parte, a equipa nortenha foi quem esteve mais perto do golo. Soares ganhou a bola de cabeça no meio-campo e isolou o maliano que ainda fora da grande área remata para a excelente defesa de Ricardo Ferreira, a primeira do guardião algarvio neste jogo. Num curto espaço de tempo, Corona e Manafá caem no relvado com queixas musculares e aos 58 minutos, um pouco depois de Soares enviar a bola por cima da baliza do Portimonense SC, dá-se a primeira substituição do jogo – sai Corona e entra Otávio. Seis minutos depois, Sérgio Conceição mexe novamente e é a vez de Fernando Andrade ir a jogo na vez de Tiquinho Soares. Do lado do Portimonense, saía Lucas Fernandes, jogador mais perigoso do Portimonense SC na primeira parte, para dar lugar a Wellington Carvalho.

Aos 73 minutos de jogo, numa altura em que não haviam lances de perigo e o jogo estava mais “chato”, Alex Telles vê Marega em boa posição para o passe em profundidade e o número 11 do FC Porto envia a bola calmamente para o fundo da baliza, fazendo assim o 2-0.

António Folha manda de imediato para o jogo Ruster Santos e tira Bruno Tabata da partida. O efeito Ruster foi sentido, mas não o suficiente. A nove minutos do fim do jogo, o brasileiro recebe a bola e de primeira remata com força para a baliza do FC Porto, mas a bola sai um pouco por cima.

SE ACHAS QUE O BENFICA VAI GANHAR O SEU JOGO AO VITÓRIA FC, APOSTA AQUI

A poucos minutos do fim, houve ainda espaço para Marega marcar, mas o golo foi invalidado por posição irregular do maliano. Mesmo ao cair do pano, canto marcado por Bruno Costa, que entrara na vez de Brahimi, Militão a cabecear para a defesa de Ricardo Ferreira e, na recarga, golo de Herrera. Estava assim decidido o jogo, o FC Porto conquista a liderança à condição, passando num teste difícil fora de casa.

ONZES E SUBSTITUIÇÕES

Portimonense SC: Ricardo Ferreira, Lucas, Jadson, Dener, Jackson Martínez, Tabata (Ruster Santos), Pedro Sá, Lucas Fernandes (Wellington Machado 69’), Ruben (Henrique 12’), Vítor Tormena e Aylton Boa Morte.

FC Porto:  Casillas, Manafá, Pepe, Éder Militão, Alex Telles, Corona (Otávio 58’), Herrera, Danilo, Brahimi (Bruno Costa 81’), Soares (Fernando Andrade 64’) e Marega.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários