Já vinha a ser noticiado diariamente nas últimas semanas o acordo total entre Jorge Nuno Pinto da Costa e Sérgio Conceição e, no fim da noite desta última sexta-feira, o FC Porto oficializou a renovação do técnico de 46 anos e da respetiva equipa até 2024. Hoje, durante a manhã, deu-se a cerimónia oficial de renovação de contrato e Sérgio Conceição voltou a falar publicamente para dar conta da ambição em continuar com este desafio na equipa portista

Caso cumpra o contrato será o treinador com mais jogos pelo FC Porto. Um feito histórico, sem qualquer dúvida. Sérgio Conceição tornou-se no rosto da equipa portista e dissociar um do outro é uma tarefa quase impossível. Na cerimónia de oficialização, o seu discurso foi igual a si próprio – a paixão pelo clube, a grande exigência e o carinho especial pelos adeptos. De realçar que Sérgio já não falava em público desde abril, aquando da reta final conturbada de campeonato. “Achei por bem não falar, porque ia alimentar algumas coisas e dar pedras aos inimigos. Preferi, de forma silenciosa, continuar o meu trabalho para tentar ganhar ainda o título, o que não foi possível”.

No seu horizonte vê e quer fazer ver títulos pelo FC Porto e pretende fazer da equipa da cidade invicta um clube ganhador: “As vitórias diárias são importantes, mas mais importante são os títulos que queremos e vamos ganhar”. Quando questionado sobre a saía de Moussa Marega, tendo sido criticado por vários adeptos pela aposta no maliano durante a temporada, rematou que acreditava e continua a acreditar na sua qualidade, defendendo uma vez mais o ex-jogador do FC Porto: “Saiu o Marega e certamente sairá mais um ou outro, é inevitável. O Marega não jogava porque era alto ou simpático, até porque não era simpático, mas porque tinha qualidade dentro do que era a nossa forma de jogar.”

Anúncio Publicitário

Um ponto final importante numa novela que já vinha a durar mais tempo do que o pretendido para os adeptos. Sérgio Conceição, ao longo das últimas épocas, tem sido sinónimo de títulos e excelentes campanhas na Liga dos Campeões, tendo conseguido rentabilizar jogadores que equilibraram as contas do FC Porto. Embora não vejamos uma equipa portista com um domínio hegemónico, como muitos dos adeptos auguram (ainda que possa ser uma utopia nos dias de hoje), conseguimos ver um FC Porto competitivo e que está a reinventar-se aos poucos para combater um período de crise de títulos vivido entre 2014 e 2017.

Sérgio Conceição
Fonte: Diogo Cardoso / Bola na Rede

A simbiose entre Sérgio Conceição e Jorge Nuno Pinto da Costa é extremamente benéfica para o FC Porto, pois reflete a confiança mútua que existe entre direção e equipa técnica e que deverá passar para os jogadores e adeptos. O presidente do clube azul e branco admite ter sido um processo mais fácil do que a primeira assinatura de contrato e garante que Sérgio será o seu treinador até ao final do mandato – “Foi a mais fácil para chegar a acordo, porque quando disse ao Sérgio que queria que ele ficasse, tínhamos de decidir o prazo. (…) Disse que preferia os três anos porque seria até ao fim do mandato, e não seria meu desejo mudar de treinador.”

Com o slogan de “Como nós, um de nós”, o FC Porto apresentou assim a renovação oficial de Sérgio Conceição que começará a trabalhar na preparação da próxima época olhando para o mercado de forma a reforçar as lacunas existentes no plantel. Uma coisa é certa – Conceição quer muito fazer novamente o FC Porto campeão.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome