Depois de um início de época titubeante em termos exibicionais e, até, ao nível dos resultados, o FC Porto arrancou, no último mês e meio, sete vitórias seguidas e encontra-se, agora, muito bem posicionado em todas as competições.

A retoma exibicional deve-se, como aqui já foi escrito e reescrito, a um aumento dos níveis de concentração e agressividade da equipa e, principalmente, à entrada em cena de Óliver Torres e Jesús Corona, que trouxeram à equipa o perfume e fantasia que lhe faltavam. Há, ainda, vários aspetos a melhorar, nomeadamente no que toca à transição defensiva (o FC Porto ainda concede demasiados espaços e oportunidades no último terço do terreno aos seus adversários), mas pode dizer-se que este começo de temporada se está a revelar, no mínimo, auspicioso.

Com sensivelmente um terço do campeonato disputado, a fase de grupos da Liga dos Campeões a entrar no momento de decisão, duas jornadas da Taça da Liga cumpridas e com mais uma eliminatória da Taça de Portugal no encalço, chega a hora de fazer o primeiro balanço e antever as primeiras decisões.

Ora, começando pelo Campeonato, o FC Porto chega à 10ª Jornada com um saldo de 8 vitórias e 2 derrotas. Derrota caseira frente ao Vitória SC e no terreno do rival SL Benfica. Pela forma como aconteceram, fruto de duas exibições pobres, só podem ser considerados resultados dececionantes, mesmo que uma derrota na casa de um rival direto possa sempre ser encarada como “normal”. Apesar destes dois resultados e de algumas vitórias nas quais os resultados foram consideravelmente melhores do que as exibições, os 24 pontos (aliados aos melhor ataque e melhor defesa) conquistados até à data chegam para uma liderança segura e justa. Vantagem de 2 pontos para o Sporting CP, de 3 para o SC Braga e 4 para o SL Benfica.

Anúncio Publicitário

A melhor exibição terá acontecido na primeira jornada frente ao CD Chaves por 5-0. Segue-se o Derby da Cidade Invicta no Estádio do Bessa e até ao final do ano civil o FC Porto terá que contar, ainda, com uma difícil deslocação aos Açores para defrontar o Santa Clara e com receções ao Portimonense e ao Rio Ave, duas das equipas com mais talento individual do nosso campeonato (excetuando os três grandes e o Braga). Aqui ainda muito há a jogar.

Soares marcou o golo que deu a vitória ao FC Porto sobre o SC Braga, a 7ª consecutiva
Fonte: FC Porto

Nas competições europeias o percurso do FC Porto tem sido quase imaculado. Mesmo que considere que os resultados, também aqui, têm superado a qualidade exibicional, 10 pontos em 12 possíveis e um saldo de 9 golos marcados e 3 sofridos têm sempre que ser destacados pela positiva. No próximo dia 28 de Novembro o FC Porto recebe o Schalke 04 no Estádo do Dragão e entrará em campo sabendo que 1 ponto basta para assegurar um lugar na próxima fase e que, em caso de vitória, assegurará o 1º lugar do grupo. É fundamental não adiar a decisão para a sempre imprevisível deslocação à Turquia para defrontar o Galatasaray.

No que concerne às Taças domésticas, o denominador comum é a Belenenses SAD. Tanto na Taça de Portugal como na Taça da Liga são os “azuis do Jamor” que separam o FC Porto da fase seguinte. No dia 24 de Novembro a equipa da Cruz de Cristo desloca-se ao Porto para mais uma eliminatória da Taça de Portugal e no final de Dezembro, cabe ao FC Porto jogar em Lisboa a última jornada da Taça da Liga. Depois de um empate caseiro com o CD Chaves e uma vitória frente ao Varzim, só a vitória interessa e só esta permitirá o acesso à Final Four em Braga sem que seja necessário recorrer à fatídica calculadora.

Finalmente, importa, também, relevar que o FC Porto conquistou, no princípio da época, a Supertaça Cândido de Oliveira (21ª da sua história), batendo o Desportivo das Aves em Aveiro por 3-1.

Em suma, depois de um arranque periclitante com alguns tropeções surpreendentes frente ao Vitória SC (no campeonato) ou frente ao CD Chaves (na Taça da Liga), o FC Porto conquistou, no pós derrota no Estádio da Luz, sete vitórias em 22 dias e encontra-se, agora, numa posição privilegiada em todas as competições. Mérito para Sérgio Conceição e para os seus pupilos que não podem nem devem baixar a guarda porque se aproximam as primeiras decisões de uma época que se avizinha longa e desgastante. Ao trabalho.

Foto de Capa: FC Porto

artigo revisto por: Ana Ferreira