fc porto cabeçalhoA história do FC Porto é construída por figuras emblemáticas que mesmo depois de nos terem deixado, permanecem para sempre imortais e cujas suas conquistas e feitos estão até aos dias de hoje escritas com letras de ouro nos alicerces da história do clube e do futebol português. Hoje recordamos Miguel Siska. Indiscutivelmente, uma das figuras do FC Porto que mais deu de si ao clube que tanto amou.

Mihaly Siska, húngaro de nascença, mas português de alma e coração, chega a Portugal com apenas 18 anos para servir as redes do FC Porto. Apesar da tenra idade, Siska foi aos poucos conquistando grande reputação e destaque na baliza dos azuis e brancos e é até hoje recordado como o primeiro grande guarda-redes a atuar pelo FC Porto, assim como o primeiro grande guarda-redes estrangeiro a alinhar em Portugal.

Enquanto jogador foi determinante na conquista dos primeiros títulos do clube a nível nacional, sendo peça fundamental nos dois Campeonatos de Portugal ganhos em 1924/25 e 1931/32.

Siska foi um dos melhores guarda-redes estrangeiros da história do FC Porto Fonte: Memória Azul
Siska foi um dos melhores guarda-redes estrangeiros da história do FC Porto
Fonte: Memória Azul

Figura grande e única do clube, Siska apresenta-se como um caso de sucesso de uma adaptação invejável daquele que foi um dos primeiros estrangeiros a alinhar em Portugal. Mihaly Siska admirava tanto o FC Porto, a cidade e o nosso país que viria mesmo a naturalizar-se português, passando a adotar o nome de Miguel Siska.

Devido a problemas de saúde retirou-se dos campos em 1934, assumindo a função de treinador em 1938 e logo na época de 1938/39 viria a assumir o comando técnico do seu clube do coração. Com apenas 32 anos, Miguel Siska foi um dos mais jovens treinadores da história ao comando do FC Porto demonstrando a mesma dedicação e empenho ao clube aquando dos seus tempos de guarda-redes. Mostrou-se igualmente fundamental e decisivo conquistando logo na sua época de estreia o campeonato nacional da I Divisão e no ano seguinte voltaria a repetir a façanha. As épocas de Siska enquanto treinador do FC Porto foram tão positivas que ainda hoje as suas conquistas e recordes são falados, mantendo o seu nome e a sua memória imortal. Recordo-me do nome de Miguel Siska ser falado na época em que André Villas-Boas venceu o campeonato nacional sem derrotas, obtendo 84 dos 90 pontos disponíveis. Este registo memorável do jovem treinador só ficava mesmo atrás do registo de, nem mais nem menos, Miguel Siska. O treinador naturalizado português conquistou na sua segunda época no comando técnico dos dragões 94,4 por cento dos pontos possíveis realizando um campeonato quase perfeito.

Anúncio Publicitário

Na época passada, o nome lendário de Siska voltaria novamente a ser mencionado isto porque, Nuno Espírito Santo tornava-se no segundo ex-guardião a assumir o comando técnico dos Dragões, seguindo o caso de Miguel Siska. Ainda esta época, uma vez mais o nome de Siska volta a ser falado e uma vez mais pelos melhores motivos. Desta vez em comparação com o registo demolidor de início de temporada protagonizado por Sérgio Conceição que só fica atrás, uma vez mais, da fantástica época de 1939/40 em que Miguel Siska conseguiu dez vitórias em dez jornadas.

Fonte: Bola na Rede
Fonte: Bola na Rede

Verificámos que Siska elevou a fasquia e que ainda hoje os seus recordes mantêm-se intactos e que assim deverão permanecer durante muitos anos. Siska está à frente de todos, é um pioneiro, um exemplo e uma referência.

Nota pessoal: É bom conhecer os homens que cavaram os alicerces do acervo que honra e enobrece a nossa alma de portistas. Siska foi guarda-redes, treinador e secretário do clube durante 23 anos dos 18 aos 41 anos. Uma vida dedicada ao clube, literalmente! Estou rendido a esta figura lendária e emblemática que foi um homem que marcou não só uma época no clube como em todo o futebol nacional.

 

Foto de Capa: https://bibo-porto-carago.blogspot.pt

Comentários