O caso deste FC Porto B parecia ser, no início da época, um caso perdido. Um mau arranque atirou a equipa para os últimos lugares da tabela, mas o certo é que, à entrada para o primeiro jogo da segunda volta, os dragões já recuperaram terreno e subiram ao oitavo lugar. Apesar de esta ser uma competição cujo título não significa o mesmo para o FC Porto do que para equipas como o FC Paços de Ferreira e o FC Famalicão, que atualmente estão na frente, não deixa de ser mais uma para vencer.

Três jogos, três derrotas. Foi desta forma que os dragões entraram na segunda liga, com a sua equipa B. Um arranque negativo, com uma goleada por 4-0 na primeira jornada, frente ao GD Estoril Praia, um assumido candidato à subida de divisão. Apenas na jornada quatro os comandados de Rui Barros somaram os primeiros pontos, com uma vitória caseira, por 2-1, sobre o Académico de Viseu FC.

No entanto, este não foi um resultado que lançou a equipa num caminho positivo. Até à oitava jornada, os bês azuis e brancos transportavam a lanterna vermelha, com apenas cinco pontos somados, fruto exatamente dessa vitória e de dois empates. A melhoria nos resultados chegou à 11ª jornada, de onde se partiu para uma série de três jogos consecutivos a vencer, sequência que permitiu o salto até ao sétimo lugar da classificação.

Tony Djim é um dos menos utilizados, com apenas 13 minutos na época Fonte: FC Porto

Desta primeira volta destacam-se as vitórias frente ao Braga B e Vitória SC B (equipas na mesma condição), bem como sobre o FC Paços de Ferreira. Fica também na memória o empate a duas bolas frente ao, também aqui, eterno rival, SL Benfica B. Depois de entrar praticamente a perder, com um golo de José Gomes aos três minutos, o FC Porto respondeu com dois golos e viu o adversário empatar já em período de compensação, através de grande penalidade.

Anúncio Publicitário

Em 17 partidas já disputadas, este é um FC Porto com sete vitórias, três empates e sete derrotas e que ainda não conseguiu estabilizar-se. No que a golos diz respeito, já marcou por 21 vezes tendo, no entanto, sofrido 23 golos.

Com um plantel maioritariamente português, esta é uma formação que pretende descobrir talentos para ingressar na equipa A e que, até ao momento, já ajudou a lançar nomes como aconteceu com Diogo Leite, Diogo Dalot e até André Silva.

Foto de Capa: FC Porto

Artigo anteriorAl-Nassr FC traz Rui para tirar a vitória a Jesus
Próximo artigoEm Busca da Salvação
O gosto pela escrita e a paixão pelo desporto, particularmente pelo futebol, tornaram claro que o jornalismo desportivo seria o caminho a seguir. A Joana é licenciada em Ciências da Comunicação, gosta de estar atenta ao que a rodeia e tem, por norma, sempre uma palavra a dizer sobre tudo.                                                                                                                                                 A Joana não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.