Cabeçalho Futebol NacionalO Vitória recebeu esta noite o FC Porto no Bonfim, numa partida a contar para 14ª jornada da Primeira Liga. Os sadinos apresentaram um onze bastante diferente, relativamente ao do jogo frente ao Vitória de Guimarães.

Os primeiros dez minutos da partida pertenceram claramente à equipa da casa que entrou muito bem e, inclusive, teve a primeira oportunidade de golo do jogo logo aos três minutos, por parte de Edinho. Depois  dessa fase inicial o FC Porto começou a crescer e aos 12 minutos Marega poderia ter feito o primeiro dos azuis e brancos, mas Cristiano, que brilhou durante toda a primeira parte, negou o golo ao avançado.

Já aos 30′ a equipa visitante poderia ter feito o primeiro golo, mas o guarda-redes do Vitória, enorme, negou o canto direto de Alex Telles e cedeu novo canto ao Porto. Desse canto surgiu, depois de muitas ameaças, o primeiro golo da partida. Aboubakar marca de cabeça, depois de canto batido pela esquerda, num lance muito contestado pelos homens do Vitória. Foram necessários somente mais dez minutos para os dragões chegarem novamente ao golo, desta vez por parte de Marega, depois de defesa de Cristiano e uma bola ao poste, o esférico vai direto aos pés do avançado que não perdoa.

O Vitória ainda tentou avançar no terreno, mas, ainda antes do final da primeira parte, Vasco Fernandes fez falta na área e o juiz da partida, depois de recorrer ao vídeo-árbitro assinalou grande penalidade. Cristiano ainda se atirou para o lado certo, mas Aboubakar não falhou e bisou na partida.

A figura da segunda parte foi, claramente, a tempestade Ana, que trouxe ainda mais vento e chuva. Sem as melhores condições, os dragões regressaram do intervalo bastante superiores ao Vitória, que só conseguiu criar perigo aos 60 minutos por parte de João Teixeira. Nove minutos depois Aboubakar fez o hat-trick, deixando assim, o FC Porto a vencer por quatro bola a zero. Os esforços dos sadinos de pouco valeram e só Nuno Pinto voltou a criar perigo a José Sá, com um canto batido diretamente à baliza.

Anúncio Publicitário

Aos 82 minutos, Marega isolou-se, esperou que Cristiano saia da baliza, e cara a cara com o guardião do Vitória, fez o quinto golo dos dragões e o seu segundo na partida.

Assim mesmo o jogo terminaria, com os dragões a fazer prevalecer a sua qualidade e raça, regressando à liderança, depois de uma vitória de mão cheia em Setúbal.