Anterior1 de 4Próximo

Cabeçalho Futebol Nacional

Em dia de eleições e clássico, e numa bela noite de Outono, Belenenses e Vitória SC disputaram, no estádio do Restelo e a uma hora tardia (21:30h), o fecho da jornada, a par do Marítimo – Benfica – sendo estes talvez factores para o pouco interesse do público presente no Restelo.

Belenenses e Vitória SC partiram para este jogo em igualdade pontual. O Belenenses vinha de duas vitórias consecutivas, a última das quais por uns esclarecedores 1 – 4 no terreno do Feirense. Quanto ao Vitória SC, vem de uma vitória caseira frente ao Marítimo mas fora de portas a equipa de Guimarães mostra dificuldades e ainda não venceu para o campeonato. Além disso, o Vitória vinha de uma derrota para a Liga Europa e não sabíamos até que ponto estava a condição física da equipa. Ao invés, o Belenenses mostrava um registo limpo com duas vitórias e um empate. Estava bastante moralizado para este encontro.

No início de jogo, foi feito minuto de silêncio em memória do antigo árbitro internacional José Pratas. O jogo começou muito dividido, sobretudo a meio campo, e a primeira oportunidade apareceu apenas aos 15 minutos de jogo, quando Tiago Caeiro, muito bem servido por André Sousa, cabeceia para uma grande defesa de Miguel Silva. Logo a seguir, no contra ataque, Heldon isola-se na frente e remata cruzado para defesa apertada de Muriel. Duas boas ocasiões num espaço de um minuto faziam antever que o jogo iria ser mais disputado mas tal não aconteceu.

A partida continuou muito disputada e dividida, com algumas faltas, uma das quais a originar aquele que seria o golo do jogo. Tandjigora bate de forma sublime Miguel Silva, num livre directo exemplarmente cobrado e colocando os azuis do Restelo na frente da partida.

Domingos soma e segue, 3ª vitória seguida do conjunto de Belém Fonte: Getty Images/ Gualter Fatia
Domingos soma e segue: é a 3ª vitória seguida do conjunto de Belém
Fonte: Getty Images/ Gualter Fatia

O Vitória pegou no jogo, mas sem grandes estragos. Notava-se falta de força atacante e notava-se também que Raphinha não estava a ser bem coadjuvado pelos restantes companheiros de ataque. Já o Belenenses, ia controlando as fracas investidas do Vitória e, mesmo antes do intervalo, tem nova oportunidade por Tiago Caeiro que remata com relativo perigo ao lado da baliza defendida por Miguel Silva. Talvez para dar essa força ao ataque no início da segunda parte, Pedro Martins tenha tirado Rincon, muito apagado,  para dar lugar ao estreante Tallo Jr.

Um Vitória muito mais pressionante apareceu na segunda parte, mas sem causar grandes jogadas de perigo. Claramente, faltava alguém que pensasse o jogo: nos primeiros 20 minutos da segunda parte notou-se isso mesmo, com um jogo muito faltoso e a clara ausência de ideias de parte a parte.

Mesmo com as substituições, o jogo não melhorou. Do lado do Vitória, Sturgeon entrou mas foi inconsequente e quem ia aproveitando era o Belenenses, que, a espaços, tentava chegar à área adversária, mas, tal como o Vitória, sem perigo. Os minutos passavam e a pressão do Vitória adensava-se com alguns momentos de frisson e sempre com Raphinha em destaque.

De destacar a boa organização defensiva do Belenenses, que foi sempre anulando aqui e ali as tentativas de golo do adversário. Os azuis tentavam quebrar o ritmo do adversário e com as várias paragens de jogo a juntar às  substituições a compensação foi de 7 minutos. Tempo muito contestado pelos adeptos da casa e aplaudido pelos visitantes.

Mas nem com a compensação o jogo melhorou e a melhor ocasião foi mesmo uma bela jogada colectiva do ataque do Belenenses conduzida por Yebda, que podia e devia ser melhor finalizada. E o jogo foi muito isto: muita disputa de bola, poucas jogadas de interesse, Guimarães atacar com muito coração e pouca cabeça, Belenenses muito organizado ataca pouco mas com perigo acaba por merecer a vitória, que ficou marcada pelo belo golo de Tandjigora.

Nas bancadas viveu-se mais o jogo, com a claque do Vitória a puxar os 90 m pela equipa, como é hábito, mas a não ter resposta à altura dentro do campo por parte da sua equipa.

Foto de capa: Vitória SC

Anterior1 de 4Próximo

Comentários