Cabeçalho Futebol NacionalBom jogo, em perspetiva, nos Açores, entre duas das boas equipas da segunda divisão portuguesa, ajudadas por virem de bons momentos competitivos.

O Santa Clara marcou por Batatinha, aos 5 minutos, após entrada pelo lado esquerdo do brasileiro, que passou o guarda redes e encostou para a baliza deserta

. Golo a coroar o que viria a ser uma boa entrada dos encarnados, claramente mais objetivos com a bola nos pés, enquanto o Covilhã apostava mais na velocidade.

Aos 20 minutos, Vítor Ferreira tomou uma decisão no mínimo caricata – assinalou fora de jogo quando o bandeirinha assinalava canto e o banco e jogadores do Santa Clara pediam grande penalidade por mão na bola. O canto era o acertado, pelo menos do sítio onde estava pareceu bola à mão e não o contrário.

O Covilhã começou a trocar melhor a bola e a ser mais perigoso em campo a partir dos 15 minutos, começando a criar vários lances de perigo mas a falhar sempre na altura do remate. Aos 29 minutos, parece ficar por marcar uma grande penalidade a favor dos serranos.

O critério largo do árbitro, a partir do lance dos 20 minutos, começou a dar mais problemas do que frutos ao jogo, o que foi prejudicando o seu trabalho, tomando várias decisões erradas, com destaque para a tal falta aos 29 minutos. A gestão de jogo tem de ser muito trabalhada pelo homem de Braga.

Anúncio Publicitário

Aos 36 minutos, Rúben Saldanha, isolado por Clemente, adianta muito a bola e permite que Igor Rodrigues a recolha sem dificuldades. O próprio Clemente aos 41, de cabeça, quase aumenta a vantagem dos açorianos.

O 1-0 ao intervalo ajusta-se ao jogo, mas não escandalizaria o empate a uma bola em São Miguel.

Estiveram presentes em São Miguel três adeptos da equipa serrana
Estiveram presentes, em São Miguel, três adeptos da equipa serrana

Medarious, que entrou ao intervalo na equipa do Sporting da Covilhã, marcou aos 55 minutos o golo da igualdade. Canto para os serranos, Serginho afasta, mas o número 14 verde e branco ganha a bola e remata para o fundo das redes açorianas.

O golo foi contra o que estava a ser a segunda parte, com o Santa Clara a criar mais perigo até aí mas, no pós golo os açorianos continuaram com mais bola, embora a criar menos perigo, existindo de parte a parte poucos lances que se possam considerar perigosos. A grande excepção deu-se aos 86 minutos, quando o árbitro anulou um golo ao Santa Clara, por falta de Clemente sobre o guarda redes, Igor Rodrigues – da bancada de imprensa não parece existir nada.

Empate justo nos Açores mas, a existir vencedor teria de ser a equipa da casa, que embora não tenha criado muitos mais lances de perigo do que os serranos criaram, pareceu sempre procurar mais a vitória.