Para o Sporting CP, o novo ano traz na sua agenda eventos desportivos que têm (ou deviam ter) especial interesse, pois, apesar de tudo, continua a ser um dos clubes que mais atletas fornece para os anais da história olímpica nacional.

A verdade é que contámos as badaladas e iniciámos um novo ano, como aliás (se tudo correr bem), acontece todos os anos… Mas 2020 não é um ano qualquer.

É um ano bissexto e, como em todos (se tudo correr de acordo com o previsto), é ano de Jogos Olímpicos e de Campeonato da Europa de Futebol. É de quatro em quatro anos que os países ficam de olhos postos nos seus ecrãs para ver os seus conterrâneos a disputar medalhas olímpicas e, para Portugal, este ano, reside a esperança de uma prestação no Campeonato da Europa tão boa quanto a de 2016…

No entanto, para além das competições multidesportivas internacionais ou do próprio Campeonato da Europa, este ano, que inicia também uma nova década, deverá ser visto como uma oportunidade de desenvolvimento do Desporto Nacional.

Anúncio Publicitário

É tempo de colocar na agenda o desporto como parte incomensurável da cultura nacional, garantido a projeção das valências portuguesas em todas as modalidades desportivas, impondo ao país um modelo estruturado que permita às novas gerações uma melhor perceção sobre o que é o desporto. É tempo de olhar para os modelos desportivos praticados noutras latitudes e recolher dos bons exemplos uma forma de acompanhar os sinais de desenvolvimento nas mais diferentes vertentes, sobretudo a tecnológica.

Ano novo, recomeço também para o Desporto
Fonte: Carlos Silva/Bola na Rede

Nesta década que se inicia, o Desporto vai confrontar-se com antigos e novos desafios, que porão em debate o seu próprio conceito.

No campo dos antigos desafios, o desporto e os seus agentes ter-se-ão de unir na procura e implementação de soluções para a proteção da sua integridade, arredando dos seus palcos todos os que do mesmo se aproveitam para atingir fins ilegais. Na vertente dos novos desafios, o Desporto será chamado, também ele, a adaptar-se à nova realidade tecnológica e ao rápido desenvolvimento internacional de novas modalidades: seja pela multiplicação de disciplinas desportivas, seja pela introdução de mecanismos tecnológicos na sua prática, seja pelo debate não mais adiável da afirmação dos jogos eletrónicos (e-sports) no panorama nacional e internacional.

Nos próximos dez anos, arriscamo-nos a dizer que o desporto sofrerá, positivamente, de um desenvolvimento nunca antes visto. Na senda dos passos que têm sido dados internacionalmente, o país precisa de abraçar esta nova década com vontade de se colocar a par com o que de melhor lá fora se pratica, sobretudo, na construção e valorização social de um modelo desportivo sustentável, equilibrado e reconhecedor do esforço hercúleo de todos os seus agentes. É um novo ano, como todos os outros, mas é 2020 e, por isso, o início de uma nova década, na qual valerá a pena presenciarmos a evolução e, acima de tudo, participarmos e promovermos a sua implementação em Portugal.

São 366 dias repletos de novas oportunidades no mundo desportivo, que apenas servem de introito para a espetacular evolução que o Desporto, como o conhecemos hoje, sofrerá nos próximos anos, ao qual o país e o mundo assistirão ativamente (espera-se…).

Foto de Capa: Carlos Silva/Bola na Rede

Artigo revisto por Inês Vieira Brandão