Adrien Silva, luso francês, nascido em Angoulême (França), médio centro de 31 anos, campeão europeu e formado na Academia de Alcochete. Nada mau para o início de uma biografia mas, infelizmente, não é o tema que nos traz até aqui.

É escusado fazer um breve resumo dos acontecimentos dos últimos dias, tudo o que menos quero é abordar a entrevista dada ao jornal Record, as palavras “percebi que no Sporting não contavam comigo” ou até a possibilidade de jogar no rival da Segunda Circular. Não é nada disso que… Pois!

Já todos reconhecemos o quão deprimente está a ser o mercado em Alvalade, há sensivelmente mais de um mês que se fala em reforços e a única coisa que chegou foi uma mão cheia de nada. Não há dinheiro? Não há planeamento? Não à gestão de qualidade? É caso para perguntar “o que passou-se?”

Desde que Adrien Silva regressou ao Sporting CP, depois do empréstimo à Académica de Coimbra, a minha admiração por ele foi sempre em crescendo. Aprecio bastante as suas qualidades enquanto jogador, deu tudo pela camisola verde e branca e foi um bom capitão. Claramente existia um meio campo sem Adrien e outro com. A raça com que encara o jogo foi sempre algo que me cativou e a consistência que dava à equipa, era fundamental para equilibrar o sistema taticamente.

Anúncio Publicitário

Hoje gostava de recuar no tempo e encarar alguns dos acontecimentos em que esteve envolvido, durante a sua passagem pelo Sporting CP, com total imparcialidade, sem o fanatismo que por vezes nos altera a razão:

A RENOVAÇÃO

Decorria a época 2012/2013 quando se falou na possibilidade de Adrien Silva trocar o Sporting CP pelo FC Porto. Depois da grande época em Coimbra, que valeu a conquista da Taça de Portugal, precisamente contra o Sporting CP, o médio ganhou a cobiça de vários clubes em Portugal e na Europa. Adrien terminava contrato na época seguinte e a saída a custo zero esteve perto de ser uma realidade. Contudo, a novela terminou quando renovou contrato, estendendo o seu vínculo em Alvalade.

CONQUISTA DA BRAÇADEIRA DE CAPITÃO

Com a chegada de Jorge Jesus, Adrien ganhou um destaque gigante na equipa leonina. Para além de ser um dos jogadores que mais tempo representou o Sporting CP, a preferência do técnico por um jogador de campo para erguer a braçadeira de capitão foi fulcral para colocar Rui Patrício como sub capitão (que até à data era o capitão leonino).

Afirmo com toda a certeza que Adrien Silva teve um desempenho excelente na função de capitão.

Com o Europeu à vista, Adrien precisa de somar minutos para voltar à Seleção
Fonte: FPF
A POLÉMICA TRANSFERÊNCIA PARA INGLATERRA

Não vale a pena mencionar o que aconteceu, esta história fez correr muita tinta. Em Agosto de 2017 não foi inscrito na Premier League por uma questão de segundos e valeu-lhe meia época sem jogar. Depois da sua saída, acusou Bruno de Carvalho por ter dificultado e atrapalhado a celeridade da transferência. Não poupou nas críticas ao ex-presidente e surgiram algumas trocas de “galhardetes” entre ambos. Adrien foi acusado de forçar a saída para Inglaterra e a forma como saiu criou divisão de opiniões na massa associativa.

Na minha opinião, entendo o porquê de querer sair e cumprir o sonho de jogar na Premier League. Se até para um mero adepto de futebol, há o sonho de assistir um jogo do campeonato inglês, porque é que um jogador que foi exemplar não pode cumprir esse desejo? Se houve culpa em alguma parte, é algo que só os próprios intervenientes saberão. Recordo a lesão que o levou até ao hospital, num jogo frente ao CD Feirense, em Alvalade… pelo menos falta de apoio de Bruno de Carvalho nessa altura não se pode queixar, que abandonou o estádio na ambulância a seu lado.

ENTREVISTAS E MAIS ENTREVISTAS PARA REGRESSAR

Por onde passou, as coisas não foram correndo como se esperava, principalmente em Inglaterra. Na última época representou o AS Monaco e o emblema monegasco não acionou a cláusula de compra. Nos últimos meses Adrien Silva foi dando várias entrevistas referindo por outras palavras “Quero regressar ao Sporting CP na próxima época” ou “Estou disponível, venham buscar-me”. Relativamente a este ponto, sempre apoiei o seu regresso. Deixa a desejar quando não descartou a possibilidade de representar o eterno rival.

Para terminar, gostaria de fazer a seguinte questão: Será que Adrien Silva não tinha um lugar de caras na atual equipa do Sporting CP? Eu olho para o atual plantel e não vejo um jogador no meio campo com mais qualidade que o luso francês (nem mesmo Wendel, que poderia beneficiar com a vinda do mesmo).

Tenho bastante dificuldade em entender esta situação. Seria mais fácil se de facto estivessem a chegar reforços de qualidade e que Rúben Amorim tivesse uma ideia diferente para a equipa. A verdade é que o tempo passa e a depressão aumenta. Não me importa o quer que seja, simplesmente quero bons jogadores, uma equipa competitiva e o Sporting CP vencedor. Venha quem vier, se for para tornar o nosso clube naquilo que ambicionamos, então que seja. Infelizmente, o barco continua à deriva e não há sinais de melhora. Mas como sempre, os melhores do mundo, cá estarão!

Foto de Capa: Leicester City FC

Comentários

Artigo anteriorRecordar é Viver: O Europeu perfeito
Próximo artigoO mercado a mexer no WorldTour
Alentejano de natureza, apaixonado por futebol com alma verde e branca. Licenciado em Marketing, procuro dedicar-me e empenhar-me em tudo o que faço. Embora tenha crescido numa família adepta do clube rival, desde cedo percebi que era o leão rampante que me apaixonava. Ser sportinguista é mais do que uma forma de estar na vida, é respirar Sporting Clube de Portugal. O seu grande sonho profissional é servir o clube.                                                                                                                                                 O Tomás escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.