O regresso do Nani é sem qualquer dúvida uma grande notícia para todos os sportinguistas. Num plantel com mais soluções do que o do ano passado mas em que a qualidade não é muito superior, ter um jogador que possa desbloquear certos jogos é muito importante e com este regresso a casa o plantel fica com esta capacidade.

Esta contratação pode ser o que faltava para a ligação adeptos/clube. Esta ligação, que se vê cada vez mais, saiu muito reforçada depois de ontem e espera-se que a venda de camisolas do clube aumente – já várias pessoas disseram que era aquilo que faltava para comprarem a Gamebox. Como se pode ver, este negócio será, muito provavelmente, totalmente vantajoso para o nosso clube.

Se é verdade que perdemos um central razoável, em troca recebemos 20 milhões de euros (apenas 13M para o clube) e Nani. Pessoalmente, esta perda do Rojo não me preocupa muito, pois acredito que temos no plantel quem ocupe a posição com uma qualidade próxima; além disso, não sei se iríamos conseguir valorizar muito mais o jogador, considerando o Mundial que fez. A vinda do Nani é mais importante e compensa a perda de Rojo sem qualquer dúvida, pois como já disse atrás irá render mais dinheiro em vendas de lugares anuais e camisolas do que iria render Rojo, e sem os custos que o argentino teria.

Aqui temos de agradecer a Bruno de Carvalho, que soube lutar pelos interesses do clube; fosse o presidente anterior e acredito que Nani não viria e talvez o United não pagasse os tais 20M.

Mais uns golos como este serão bem-vindos; pode começar já no próximo dia 31.

Mas o que pode fazer Nani no Sporting? Para começar, vai dar a tal imprevisibilidade de que já falei acima – faltava um extremo com estas características, apesar de Carrillo também as ter; o problema é que o peruano é muito inconsistente. Mas Nani pode ainda fazer a posição de 10 – como se viu no primeiro jogo desta época do United -, outra posição que está algo deficitária no plantel, ou seja, com este empréstimo ficamos com um ataque mais forte e com um jogador que pode fazer duas posições debilitadas.

Indo agora para o actual plantel, o Sporting fica com seis extremos – Nani, Mané, Capel, Carrillo, Heldon e Shikabala –, um número muito grande. Na minha opinião, Capel e Heldon deveriam sair, reduzindo assim este número, que teria sempre no plantel da equipa B uma boa base de recruta (Iuri e Podence, por exemplo) caso fosse preciso. Ficaria assim apenas a faltar um “Jardel” que metesse 42 golos na temporada.

Para terminar, apenas algumas curiosidades de que me fui lembrando. Nani fez a última temporada na primeira época da Puma como fabricante dos equipamentos; regressa agora na primeira temporada da Macron. As cores dos equipamentos são iguais nos dois casos – principal riscado de verde e branco, alternativo verde e amarelo, e a Stromp – apesar de este ano termos um quarto equipamento para a UEFA todo verde. Estas duas temporadas seguem-se ainda à realização de um Mundial. Ambos foram ganhos por países europeus (2006 Itália e 2014 Alemanha), sendo que em ambos os casos estes países venceram o seu quarto mundial.

Nani, sê bem-vindo neste teu regresso a casa!

Comentários