Anterior1 de 2Próximo

Caro mister, perdoe-me a cordialidade e a frontalidade nas minhas palavras mas não posso deixar passar ao lado o momento que o clube vive e muito menos deixar de expressar a tristeza que tenho sentido, a tristeza que muitos de nós temos sentido. Por vezes é um sentimento de um enorme vazio dentro de nós, parece algo que já sentimos outrora e que agora parece algo estranho por termos sido privados desse tipo de sentimento durante alguns anos. E sabe porquê? Porque o paradigma tinha mudado com a anterior direção. Existia pujança, esforço, dedicação, devoção e glória. Principalmente nas modalidades, algo que tarda em aparecer no futebol profissional.

No entanto, existiu uma clara melhoria a nível de resultados e ficamos muito mais competitivos. Deixamos de ser motivo de chacota e passaram a contar connosco na luta pelo titulo novamente. E agora sentimos, nós os verdadeiros adeptos e os verdadeiros sócios, que estamos novamente no rumo errado. Que o paradigma voltou a mudar para o clube amigo e das elites que tanto caracterizou o clube, o tal clube dos croquetes, onde a exigência voltou a não fazer parte do quotidiano leonino. Voltamos a ser gozados, voltamos a permitir que façam o que quiserem do nosso clube e dos nossos jogadores. Tal como eu, há muitos sócios e simpatizantes que não nos lembramos de ver o clube ter sido campeão e, no entanto, não desmobilizamos. Somos uma massa adepta jovem, viva e cada vez somos mais leões. E por isso mesmo, não posso – nem podemos deixar passar em claro o momento que o clube vive.

Reconheço que a culpa não é inteiramente sua, existe muitos erros da Comissão de Gestão e da actual direcção do Dr. Frederico Varandas. Mas hoje, dirijo-me exclusivamente ao mister, falando da sua quota-parte e dos erros que tem cometido neste ainda precoce inicio de época.

Apesar de reconhecer a coragem que teve para pegar no projeto na situação em que estava o clube e apesar de respeitar o trabalho de toda a gente, principalmente, no mundo do futebol, nunca fui seu fã e não reconheço em si as capacidades para ser um treinador de clube grande ou dos chamados clubes de top europeu e mundial.

Não tem capacidade para gerir e treinar num clube com os objetivos do Sporting. Já a primeira passagem por Alvalade não foi feliz, apesar de concordar com segundas oportunidades, era mais que sabido que a sua segunda passagem tinha tudo para correr mal. O Sporting precisa de gente nova, de nova pujança, de novos conhecimentos. O futebol evolui de dia para dia, principalmente taticamente e o mister ficou preso ao passado. O Sporting nos dias que correm não tem um fio de jogo, não tem ideias, vive das poucas individualidades que existem no plantel e que fazem por vezes a nossa sorte surgir um pouco e sobrepor-se assim à péssima performance coletiva.

José Peseiro tem demonstrado imensas dificuldades no comando técnico dos leões
Fonte: Sporting CP

Vamos por partes: Primeiro, tenho gostado muito de ver o mister a passear pelas praças de toiros pelo país. Das duas uma: ou está à procura de novo emprego para si ou para o Battaglia. E já que se fala no Battaglia, explique-me como é que um jogador do Sporting pode estar dentro de campo com sono? Visível nas imagens televisivas, não há desculpa. Para mim é muito mais grave estar em campo com sono, a andar em campo, sem atitude, sem garra do que por exemplo acontecer como aconteceu com o Matheus Pereira e que acabou por afastar do plantel um dos nossos melhores jogadores. Esse certamente teria vontade em demonstrar todo o seu potencial. É certo que os jogadores têm de ser profissionais, mas sabe tão bem como eu, que com os melhores jogadores estamos sempre mais perto de ganhar. E o actual plantel leonino não abunda em grandes opções muito menos opções ofensivas. Gostava de saber se viu essas imagens, se falou com o jogador, se lhe deu alguma reprimenda. Mas provavelmente o jogador por ter sono, ficou mais perto de receber um aumento no salário.

Segundo, como é que um jogador que rescinde contracto, volta ao clube, é promovido logo a capitão? Como é que ficará o ambiente no balneário? Como? Sinceramente eu não acredito que o ambiente seja bom ou que seja bom entre todos. Visto que rescindir e voltar ao clube dá mais regalias do que ficar sempre no clube e nunca lesar o clube em nada. Jogadores como Montero, Coates ou até Mathieu merecem muito mais esse estatuto no balneário. E é assim que se ganha um balneário. A imagem que passa tanto para dentro como para fora não é nada positiva. Mas foi como lhe disse, passamos a ser um clube amigo e em que a exigência voltou a ser zero. A dedicação e o compromisso voltou a ser zero.

Anterior1 de 2Próximo

Comentários