Anterior1 de 9Próximo

Cabeçalho Futebol Nacional

Todos os anos é assim. O mesmo frenesim, a mesma tensão, o mesmo empolgamento nas vésperas de um jogo que conhece 90 minutos mas começa muito antes, nos cafés e nos jornais e acaba muito depois, em “bocas” de colegas de trabalho.

O derby eterno mexe com aquilo que o ser humano tem de mais vulnerável – o orgulho. O orgulho que faz beijar os símbolos das camisolas que se vestem. O orgulho que explica a razão de não se ficar em casa e de acompanhar o seu “amor, seja onde for”. O orgulho que faz vibrar milhões de pessoas espalhadas pelo mundo em torno de uma causa comum – o clube do coração.

Sportinguistas e benfiquistas vão parar, no Sábado, 22 de Abril de 2017, às 20h30, porque em disputa, mais do os que três pontos, está o tal orgulho e o direito que assiste, ao vencedor, de brincar com o/a colega de trabalho (ou amigo/a, ou patrão/patroa, ou namorado/a) do outro clube.

E nós? Nós também não ficamos indiferentes. Ninguém fica, seja verde, vermelho, azul, amarelo ou cor-de-rosa. Não é só uma frase feita – o país pára. Nós incluídos. Parámos durante duas semanas inteiras para visitarmos a história na esperança de ouvir as histórias que ela nos tinha para contar. Relatos de estádios cheios, golos decisivos, orgulho exacerbado ao alto de uma loucura quase sempre saudável.

Se o Estádio José Alvalade falasse... Fonte: StadiumGuide.com
Se o Estádio José Alvalade falasse…
Fonte: StadiumGuide.com

Vimos muita coisa e apontámos tudo. E trouxemos para contar. A vocês, que não são só leitores, são colegas de paixão, que gostam disto tanto (ou mais… ou menos) quanto nós.

Olhámos e contámos os números do derby de Alvalade, a contar para o campeonato português, desde 1956, ano de inauguração do velhinho Estádio de Alvalade até hoje, e temos muita coisa para vos mostrar.

Não, não falamos só das 22 vitórias do Sporting, as 21 do Benfica e os 17 empates registados desde aí, ou dos 149 golos apontados (75 para os leões, 74 para os encarnados) até hoje. Falamos de muito mais. De expulsões, nacionalidades, grandes penalidades, treinadores que foram jogadores, jogadores que jogaram com as duas camisolas, golos nas estreias…

… enfim, gostamos disto tanto (ou mais ou menos) quanto vocês. Seria injusto ficarmos com a informação só para nós. Seguem 9 páginas de história. Sejam bem-vindos a mais uma edição da “Força dos Números”.

Foto de capa: Stadium Guide

Anterior1 de 9Próximo

Comentários