O Hóquei em Patins do Sporting Clube de Portugal fez história na temporada transacta, ao sagrar-se Campeão Nacional, 30 anos depois da última conquista, a primeira vez desde o regresso da Modalidade ao Clube (2010).

Foi uma temporada de grande nível para os comandados de Carlos Freitas que se apresentaram a um nível bastante consistente ao longo da temporada. Os Leões mantiveram-se invictos durante os primeiros três meses da época, tendo registado as duas primeiras derrotas em Janeiro, aquando das deslocações aos redutos de Lodi (Liga Europeia) e FC Porto (Campeonato).

A turma de Alvalade foi somando vitórias, recuperou a liderança do Campeonato Nacional, terminou o Grupo D da Liga Europeia no primeiro lugar, eliminando posteriormente a UD Oliveirense nos quartos-de-final, contudo pelo meio viria a ser afastada da Taça de Portugal nos oitavos-de-final da competição, aquando da recepção ao FC Porto, com a turma azul a revelar-se mais forte nas grandes penalidades.

Ângelo Girão foi um dos elementos preponderantes na solidez defensiva
Fonte: Sporting Clube de Portugal

A última derrota da turma verde e branca surgiu na meia-final da Liga Europeia (12 de Maio). A recta final de Campeonato foi de uma resiliência e espírito de superação notáveis: o empate em Barcelos, antes da final-four da Liga Europeia, tinha significado a perda da liderança, contudo na jornada imediatamente a seguir o Sporting CP recuperou essa mesma liderança com uma vitória por 13-2 diante do CD Paço de Arcos, aproveitando da melhor forma o empate entre os rivais; num verdadeiro teste de fogo os Leões foram até à Luz vencer de forma clara o SL Benfica (4-7), impondo aos encarnados a única derrota no Campeonato, e confirmou a conquista do título na jornada seguinte com o triunfo frente ao FC Porto (4-3).

Estava assim consumado o terceiro título do Pavilhão João Rocha: depois do Voleibol e do Andebol, foi a vez do Hóquei em Patins corresponder ao cântico “O teu Reinado voltará, porque em Portugal melhor no Hóquei não há”!

Balanço:
Campeonato Nacional – 1.º classificado, Campeão Nacional
Taça de Portugal –Oitavos-de-Final (5-5 FC Porto; 0-3 g.p)
Liga Europeia – Meias-finais (2-5 FC Porto)

Plantel:

61. Ângelo Girão; 91. Zé Diogo; 4. Ferran Font; 5. Manuel Coimbra; 6. Zé Costa; 8 Caio; 9. Pedro Gil; 16. João Pinto; 17. Matías Platero; 30. Vítor Hugo; 57. Toni Pérez; 88. Henrique Magalhães

Treinador: Paulo Freitas; Treinador adjunto: Ricardo Gomes

Foto de Capa: Sporting Clube de Portugal

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários