Anúncio Publicitário

O regresso de João Palhinha ao Sporting CP teve contornos surpreendentes. Em relativamente pouco tempo, o médio defensivo passou de dispensado do estágio no Algarve para titular indiscutível. Aos 25 anos, conseguiu finalmente afirmar-se na equipa titular dos leões. Peça fundamental para Rúben Amorim, renovou contrato e integra agora o lote de capitães, ao lado de Coates e Luís Neto.

Depois de duas épocas em SC Braga, onde realizou 76 jogos pelo clube minhoto, João Palhinha tem estado em grande plano no Sporting CP. Fez a reestreia frente ao FC Porto, tendo sido um dos melhores em campo – a jogada do segundo golo, apontado por Vietto, começa numa grande recuperação de bola do português.

Anúncio Publicitário

Há duas temporadas, seria impensável para muitos falar em João Palhinha como um titular indiscutível no Sporting. Às ordens de Jorge Jesus, treinador de quem recebeu duras críticas após derrota dos leões no Dragão em 2017, realizou apenas 18 jogos pelo Sporting em duas épocas, sendo apenas quatro como titular. Marcou dois golos, ambos frente ao Oleiros, em jogo a contar para a Taça de Portugal.

A sua limitação na construção do jogo, evidenciada pelas claras deficiências técnicas, sempre deixaram os adeptos leoninos reticentes. No entanto, a sua evolução brutal em Braga, nomeadamente na última temporada – marcou o golo da vitória arsenalista na Luz – dissiparam quaisquer dúvidas nesse aspeto.

Um autêntico pêndulo na equipa dos leões, tem se destacado pela sua impressionante estatura física e pelo posicionamento irrepreensível. João Palhinha tem sido o melhor em campo em boa parte dos jogos que disputou, prémio esse que vai dividindo com Pedro Gonçalves, atual melhor marcador do campeonato.

Fruto da sua atitude e vontade em campo, profissionalismo demonstrado em situações complicadas e pelos já muitos anos de clube, ganhou o estatuto de indiscutível na equipa de Amorim, algo que já havia conseguido em Braga mas que tardava em alcançar no seu clube do coração 

Numa altura em que o Sporting sofreu grandes alterações em relação à época passada e se perfila como uma equipa muito jovem, torna-se fundamental existirem referências no balneário, principalmente se forem jogadores formados no clube. Depois de dois anos extremamente conturbados no clube de Alvalade, João Palhinha será o líder desta muitíssimo talentosa geração sportinguista. 

Recentemente, em entrevista ao Record, confessou que seria ‘’um grande orgulho’’ envergar a braçadeira de capitão do Sporting. Nos sete jogos em que atuou desde o seu regresso, tem uma média superior a quatro desarmes por jogo e cerca de 88% de eficácia de passe. A jogar assim, será uma questão de tempo e arrisca-se a integrar outro lote: o de convocados para o Campeonato da Europa. Tem a palavra João Palhinha… 

Anúncio Publicitário

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome