O Estádio do Fontelo recebeu, de casa cheia, um dos jogos mais esperados da eliminatória da Taça de Portugal. O jogo marcou a estreia do movo técnico leonino, Marcel Keiser, e opôs a equipa sensação da competição (eliminou o Nacional da Madeira por 4-3), o Lusitano de Vildemoinhos, a um grande do futebol português.

Ao contrário do que seria de esperar, foi o Lusitano de Vildemoinhos quem entrou melhor na partida. Logo no segundo minuto de jogo, Diogo Braz aproveitou um erro clamoroso de Mathieu, isolou-se e cara a cara com Renan Ribeiro atirou por cima da baliza. Aos oito minutos, o Lusitano voltou a estar perto de golo: Nuno Rodrigues foi lançado no lado direito do ataque e atirou forte para uma boa intervenção do guarda redes leonino.

O Lusitano estava melhor na partida: não perdia tantas bolas, pressionava bem alto e nunca descurou aquilo que foi o jogo ofensivo e as investidas de ataque. Porém, não demorou muito para o Sporting evidenciar a sua clara supremacia na partida. Aos 18 minutos da partida, antes de os leões começarem a rugir, houve tempo para um lance controverso: Bruno Gaspar foi lançado na área por Diaby, sofreu um toque e ficou a pedir grande penalidade. O árbitro não atendeu às reclamações dos homens de verde e branco e prosseguiu com a partida.

Aos 27 minutos, o Sporting conseguiu finalmente ter uma clara ocasião de golo. Bruno Fernandes rematou muito forte, Ruca defendeu para a frente e Nani, com tudo para assistir Wendel, optou pelo egiísmo e rematou fraco à baliza. A partir daí, só deu Sporting e muito por causa de Wendel, o principal catalisador do jogo leonino no primeiro tempo. Aos 29 minutos, o médio tentou o golo de muito longe e a bola passou a rasar o poste. Cinco minutos depois, o brasileiro voltou a tentar o golo: de fora de área, Wendel atirou ao lado e deixou o perigo na defensiva do Lusitano.

Anúncio Publicitário

Ainda antes dos 40 minutos, foi a vez de ser Bruno Fernandes a ficar perto do golo. Após um cruzamento de Diaby, Ruca sacudiu para zona fontal, onde pareceu o médio português a atirar muito por cima da baliza: que perdida incrível do médio leonino! A cinco minutos do intervalo, foi Nani quem esteve perto do golo: após um cruzamento largo de Jefferson, o extremo português cabeceou pouco por cima da baliza.

O Sporting mostrava as suas garras e não demorou muito mais a ferir a vítima: aos 42’, num grande desenho ofensivo dos homens de Keiser, Wendel recuperou a bola e lançou Bruno Fernandes; o médio português lateralizou o jogo para Jefferson e o defesa cruzou de forma quase teleguiada para a grande área, onde apareceu o gigante Bas Dost para fazer o golo. Estavam abertas as hostilidades no marcador!

Contudo, a resposta do Lusitano surgiu logo no minuto seguinte. Aproveitando uma perde de bola displicente de Bruno Fernandes, Nuno Rodrigues acelerou na direita, deixou dois defesas leoninos para trás e cruzou para Diogo Braz, que atirou a contar, aproveitando o facto de Renan ter ficado mal na fotografia.

António Nobre, árbitro da partida, mandou os jogadores para os balneários e terminou com um primeiro tempo em que o Sporting demorou a acordar, mas acabou por acabar por cima.

Havia motivos para festa no estádio do Fontelo
Fonte: Lusitano FC Vildemoinhos

A segunda parte e o jogo decresceu nos níveis de intensidade. Sem muitos lances dignos de registo, foi preciso esperar até à hora de jogo para se ver uma ocasião de golo…e que golo! Bruno Fernandes respirou magia, tabelo com Bas Dost e atirou colocadíssimo de pé esquerdo, atirando assim a contar e oferecendo de novo a vantagem ao Sporting.

A partir daqui o Lusitano nunca mais foi o mesmo e o jogo pintou-se de verde e branco. Aos 70 minutos, Jefferson cruzou bem (outra vez!) e Bas Dost (também outra vez), com o faro do golo bem ativo, desmarcou-se e rematou forte, fazendo assim o terceiro dos leões.

Os leões continuaram com a acelerar e dois minutos depois foi Diaby quem fez o gosto ao pé.  Numa jogada de ataque rápido pelo lado esquerdo, Bruno Fernandes tabelou com Nani, o extremo assistiu Diaby e o maliano, já na pequena área, fez o quarto tento dos leões.

Até ao final, o Sporting limitou-se a fazer o que era necessário: geriu o jogo de forma matura e sem correr muitos riscos. Os leões passaram assim à próxima eliminatória, mas tiveram que suar para bater esta equipa do Lusitano. Os homens de Viseu, por outro lado, demonstraram ser uma equipa muito bem montada, organiza e coesa e não é por acaso que está apenas a dois pontos dos lugares de subida da série B do Campeonato de Portugal.

Onzes iniciais:

Lusitano FC Vildemoinhos: Ruca, Assane Baldé, Paulo Oliveira, Tiago Gonçalves e Márcio Rocha; Murilo Rosa, Uros Smolovic (Lopes, 78′) Nuno Rodrigues; Kiko, Hélder Rodrigues (Marado, 79′) e Braz (Klysman, 72′).

Sporting CP:  Renan, Bruno Gaspar, Coates, Mathieu e Jefferson; Gudelj (Petrovic, 85′), Wendel (Bruno César, 79′) e Bruno Fernandes; Diaby, Nani e Bas Dost (Jovane, 76′).