Anterior1 de 2Próximo

sporting cp cabeçalho 2

Suíça é sabida pelos fantásticos queijos mas também ficou, recentemente, conhecida pelos erros individuais dos jogadores leoninos. Uma autêntica obra de arte daquilo que não se deve fazer quando se joga ao mais alto nível. Nem a presença relativa dos emigrantes portugueses foi suficiente para que tal não acontecesse. A ofuscante procura para ver a equipa verde e branca jogar e, principalmente, vencer, não foi feliz sendo “premiada” com actuações negativas dos seus intérpretes.

Fábio Coentrão ganhou a luta de galos. Foi o reforço mais requisitado e aquele que mostrou mais qualidade no “calçadão” de Nyon. Bruno Fernandes mostrou ter a garra necessária para ser o maestro do meio-campo, nem que seja levantar a garimpa para fazer esquecer Adrien Silva. Doumbia mostrou que precisa, no mínimo, de uma semana para recuperar do seu último jogo ou golo marcado. Já Mathieu mostrou toda a sua perturbação que vem do Barcelona, nomeadamente pelas rabias de Messi nos treinos. O francês bem tentou esconder-se dentro de campo, com Jorge Jesus a rectificar constantemente o seu posicionamento, pedindo-lhe, inclusive, que saísse detrás de Coates.

Os reforços continuam a mostrar-se a Jorge Jesus Fonte: Sporting CP
Os reforços continuam a mostrar-se a Jorge Jesus
Fonte: Sporting CP

Matheus Oliveira e Battaglia necessitam de tirar as pantufas. As bolhas nos pés, devidas à carga física diária sofrida, não passaram despercebidas e ao longo dos dias em que foram chamados a intervir, notou-se um ligeiro melhoramento. Depois de cumprir este estágio, André Pinto irá apresentar-se no quartel de bombeiros em Lisboa. O mais recente apaga fogos de Alvalade eliminou com classe qualquer perigo que se aproximava do não guarda-redes Azbe Jug. O esloveno provou porque é que o Sporting precisa de não vender Rui Patrício. Para finalizar a análise dos oito novos reforços da equipa de Alvalade, Ezequiel Schelotto recebeu o novo telefone do presidente para desmentir a dispensa e divulgar que tinha ordem para se apresentar na academia.

Piccini foi o autor do “regresso” e Schelotto contribuiu com um jantar no seu restaurante. Há quem tenha verificado que a verdadeira essência de Piccini pode ser dentro da cozinha. Entre reforços, permanências, regressos e subidas, André Geraldes fez, provavelmente, o último jogo de leão ao peito. O defesa sentiu o mesmo que Bruno César ao ser chamado de tapa buracos. Petrovic renasceu e, se tivesse ficado uma época completa em Vila do Conde seria, neste momento, o novo menino querido de Jesus. Iuri Medeiros tem um pé esquerdo incrível, tão bom que nem sequer utiliza o pé direito para subir escadas. É “pedido” que o português fique no plantel, mas, a sua teimosia em desperdiçar oportunidades pode levá-lo, novamente, a representar clubes que lutam para não descer. Tobias foi à missa agradecer o facto de a venda de Paulo Oliveira ter acontecido antes da dele. O melhor momento de Ryan Gauld foi ter assustado Mathieu nos treinos – o mini-Messi esteve em grande plano nesse sentido. Jonathan Silva quis tanto mostrar tudo logo de início que acabou por apenas mostrar porque é que foi emprestado ao Boca Juniors.

Anterior1 de 2Próximo

Comentários