O sistema de três centrais de Rúben Amorim, ao contrário das tradicionais defesas com quatro jogadores, utiliza três jogadores na posição de defesa central. Esta variável faz com que o defesa central seja uma das posições que exige mais profundidade no plantel: Coates, Feddal, Luís Neto, Eduardo Quaresma e Gonçalo Inácio são os centrais que o plantel tem. Contudo, na hierarquia dos titulares, encontra-se uma surpresa chamada Luís Neto.

Luís Neto chegou ao Sporting CP na época de 2019/2020 e vinha aclamado como um jogador que trazia experiência e qualidade para o eixo da defesa leonina. A verdade é que a concorrência era apertada e as características do central nunca vieram ao de cima. Aliás, acontecia o oposto. Muitos adeptos viam o internacional português como o elo mais fraco de uma equipa que também não ajudava devido à falta de qualidade evidente em várias posições. No entanto, Luís Neto, apesar das exibições menos boas, tinha um discurso muito assertivo para o exterior e demonstrava ser uma das vozes do balneário.

Este ano, com a saída de jogadores com vozes imponentes no balneário e com uma maior regularidade no onze inicial da equipa liderada por Rúben Amorim, Luís Neto tem ganho preponderância na dinâmica do onze e do plantel: ninguém o pode acusar de falta de compromisso com o clube ou de falta de garra, sendo que a falta de qualidade que possa ter em certos momentos do jogo tem sido muito bem encoberta.

Luís Neto agarrou a titularidade e tem mostrado, ao longo da presente época, garra, espírito de sacrifício e devoção
Fonte: Bola na Rede

Claro que uma equipa estável e a jogar bom futebol ajuda sempre qualquer futebolista a destacar-se, mas é importante saber elogiar quando o elogio é merecido. E Luís Neto tem merecido: não deslumbra, mas cumpre. Mesmo que muitos considerem que devíamos ter um titular com mais qualidade (eu sou um deles), poucos são os que não veem em Neto um jogador útil como quarto central que pode desenrascar a equipa num momento de aperto, seja por lesão ou opção tática do treinador.

Anúncio Publicitário

No entanto, considero que o maior problema de Neto é mesmo sair a jogar e assumir a primeira fase de construção da equipa (neste aspeto Eduardo Quaresma e Gonçalo Inácio são superiores). A experiência compensa em parte o problema, mas mesmo assim, por vezes, vemos passes mais arriscados a queimar o colega que não podem ocorrer a este nível, principalmente quando se vai em primeiro lugar do campeonato… mas também, para um quarto central, Luís Neto é uma grande mais valia.

Tem sido verdadeiramente uma agradável surpresa, principalmente quando o comparamos com o mesmo jogador da época passada: podemos dizer que o Inesperado Luís Neto agarrou o lugar… pelo menos até Eduardo Quaresma atinar ou até o Sporting CP contratar um central com qualidade de titular. Até lá, temos de jogar com o que temos e a verdade é que o que temos não nos tem servido mal!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome