Um encontro que teve no início um sabor especial. O Sporting entrou em campo já com o conhecimento de que o seu rival da segunda circular, Benfica, tinha perdido em casa com o Tondela por 3-2. Isto quereria dizer à partida que uma vitória dos Leões em Portimão permitia um dérbi em pé de igualdade pontual.

Um Sporting muito forte aquele que entrou na partida, nos primeiros instantes, e ao minuto dois podia mesmo ter feito o primeiro golo. Ao minuto cinco os leões já tinham conquistado dois pontapés de canto. Um Portimonense que não conseguia sair para o contra-ataque, perante um Sporting com Petrovic no lugar de Mathieu. Os algarvios desde muito cedo que apostaram no contra-ataque, sendo esta a estratégia.

O primeiro golo leonino estava mesmo para acontecer, decorria o minuto 23’ quando Bas Dost e Bruno Fernandes trocaram de papéis. O holandês assistiu para o português fazer um chapéu a Leo e inaugurar o marcador no Portimão Estádio, que estava repleto de adeptos verdes e brancos.

Após o primeiro tento leonino, os algarvios aproveitaram para subir no terreno e tentar criar situações de perigo, fruto também de uma descida das linhas dos homens de Alvalade, propositadamente.

Anúncio Publicitário

Decorria o minuto 42’ quando o Portimonense empatava a partida. Fabrício no coração da área, num bom remate, não deu hipóteses a Rui Patrício. O empate ao momento justificava as circunstâncias do jogo, pois após o golo do Sporting, os leões desceram e permitiram aos algarvios subir e criar oportunidades de golo.

Lotação esgotada invadiu Portimão
Fonte: Bola Na Rede

A igualdade de 1-1 ao intervalo aceitava-se com naturalidade, um Sporting que entrou determinado e forte e marcou primeiro, decorria o minuto 23, e após o mesmo, “descansou”, em contrapartida os algarvios aproveitaram para agarrar o jogo e acabaram por marcar, perto do intervalo.

A segunda parte teve os mesmos ingredientes do início da primeira, um Sporting a querer ganhar vantagem, pressão alta e jogo rápido, e um Portimonense mais cauteloso mas querendo ser mortífero nas poucas oportunidades que dispunha.

Ao minuto 61’ uma arrancada de Gelson, criou talvez a grande oportunidade do jogo, com Acuña e Bruno Fernandes a não conseguirem rematar à baliza de Leo. Simultaneamente, começava a cair chuva no Portimão Estádio e Vitor Oliveira era expulso do banco.

O jogo caminhava para os dez minutos finais e estava partido, os leões desfilavam num leque de oportunidades desperdiçadas e num sufoco, enquanto os algarvios arriscavam no contra-ataque e no espaço aberto pelo Sporting.

Ao minuto 85’ entrava na partida Lumor, jogador do Sporting que na primeira parte da época representou os algarvios. Ao minuto 89’, estava reservado o golo da noite, Bruno Fernandes num remate de fora de área, fez explodir os 5.724 espectadores presentes no Portimão Estádio. Um leão muito sofrido, cansado, mas sobretudo que nunca desisitiu e procurou sempre a baliza.

O Sporting saiu de Portimão com uma grande vitória e exibição, Bruno Fernandes foi determinante e incansável, qualidades que se viram patentes na Onda verde presente no Portimão Estádio.

Como jogou o Portimonense SC

Leonardo Navacchio, Hackman, Lucas Possignolo, Ruben Fernandes, Rafa Soares, Pedro Sá, Marcel, Bruno Tabata, Shoya Nakajima, Fede Varela, Fabrício (C)

Substituições: Dener (Marcel, 12′), Wellington Carvalho (Bruno Tabata, 77′), Ewerton (Fede Varela, 86′)

Como jogou o Sporting CP

Rui Patrício, Stefan Ristovski, Sebastián Coates, Radosav Petrovic, Fábio Coentrão, Rodrigo Battaglia, Bryan Ruiz, Bruno Fernandes, Gelson Martins, Marcos Acuña, Bas Dost

Substituições: Josip Misic (Fábio Coentrão, 68′), Fredy Montero (Bryan Ruiz, 73′), Lumor (Battaglia, 85′)