sporting cp cabeçalho 2No final da última época desportiva – e tal como é habitual nas equipas por todo o Mundo – a equipa de futsal do Sporting recebeu alguns reforços para as mais variadas posições. A maioria desses reforços veio de outros clubes mas também houve um regresso de empréstimo, no caso específico, de Gonçalo Portugal.

Na verdade, podemos começar esta análise pelo jovem guarda-redes português. A lesão de André Sousa no início da época e a reforma de João Benedito no final da temporada passada abriram uma porta que até então parecia fechada pois em 2014/15 e 2015/16 Gonçalo foi emprestado à AD Fundão e ao Quinta dos Lombos, respetivamente, devido à forte concorrência que havia para a sua posição que inevitavelmente o relegou para segundo plano na hora de fazer escolhas. Esta época, se não fosse a lesão do seu companheiro português (a juntar à presença de Marcão no plantel) é muito provável que outro empréstimo se tivesse sucedido aos anteriores. Neste momento, arrisco-me a dizer – e esta já é uma ideia que tenho de há muitas épocas para cá – que Gonçalo Portugal é o elo mais fraco de uma equipa que transborda qualidade em todas as posições e que, ainda por cima, viu chegar mais jogadores de qualidade inquestionável no último verão. O português pode ser um guarda-redes com alguma qualidade mas acho que dificilmente chegará a um nível aceitável para quem está num plantel de um candidato ao título nacional e que tem fortes perspetivas de crescer internacionalmente.

Pany Varela, ou Anilton como muita gente o conhece no mundo do futsal, chegou ao Sporting vindo da AD Fundão e tem entrado em jogo de forma esporádica, acabando por mostrar aos poucos que poderá ser uma mais-valia. É um jogador cumpridor e raramente compromete a equipa mas ainda não consegue desequilibrar como outros jogadores do plantel. É verdade que é na sua posição que estão os jogadores mais criativos e com muitos anos de casa, o que os torna conhecedores dos processos de Nuno Dias, acabando por relegar para o banco quem chegou mais tarde e ainda se está a ambientar. Neste momento, julgo que Anilton poderá ser uma aposta de futuro que, bem trabalhada por Nuno Dias, pode vir a dar bons frutos e ser uma peça importante na manobra da equipa. Para além disso, a sua qualidade está mais que provada, ele que é internacional pela nossa seleção, uma convocatória difícil de alcançar tal é a irreverência e o talento que a preenche.