relacionamentodistancia

Confesso que não sei bem o que hei-de escrever sobre o que se passou no fim-de-semana passado.
Os meus colegas Sportinguistas escreveram muito (e bem) sobre os casos, os contextos, as manhas e as evidências de algo que todos vimos faz amanhã oito dias…
Portanto, decidi que esta semana não me vou irritar. Não vou chamar nomes a ninguém. Não vou descarregar as minhas (legítimas) frustrações neste espaço de opinião. Não vou falar do jogo, nem do Benfica, nem do Duarte Gomes, nem de penáltis, nem de expulsões, nem de episódios passados, nem do “grande espectáculo, um verdadeiro hino ao futebol português”.

Ora… Em vez disto tudo vou falar de… Hmm… Deixa cá ver…
Descobri esta semana que há uma ilha remota nas Bahamas habitada unicamente por porcos. Chamam-lhe, imagine-se lá… “Ilha dos Porcos”. Não, não vou fazer uma piadola de tasca reles a comparar este fascinante fenómeno natural com uma certa instituição do desporto nacional, não me vou desviar da minha missiva de paz estabelecida para esta semana. Não insistam, não vai acontecer.
Descobri também esta semana que, há não muito tempo, uma mulher americana, a bordo de um voo doméstico, tentou disfarçar o odor de flatulência acendendo vários fósforos, causando um pequeno fogo e forçando o piloto a uma aterragem de emergência. Mais uma vez, não vale a pena insistir: não vou fazer aqui nenhuma graçola taberneira de pessoas que tentam cobrir os seus erros com asneiras descomunais. Vocês, pá… Esqueçam lá a porcaria do jogo… Passado é passado.
Isto é giro.
Quem é que precisa de falar e ler sobre bola todos os dias, quando há um mundo tão interessante por descobrir?
E tem um efeito terapêutico, também. Está cientificamente provado (por pessoas – espertas – com batas brancas e tudo) que rir é o melhor remédio. Cá para mim, devia-se abrir um novo espaço no Bola na Rede, só com curiosidades e factos deste género, para quando não há mais paciência para sequer pensar em polémicas do mundo da bola.
Mas suponho que isto seja um bom exercício, daqueles difíceis de compreender mas de que mais tarde nos lembramos: “Eia, lembras-te? Foi graças àquela parvoíce que chegámos onde chegámos”. Como nos ensinou o imortal Mr. Miyagi em “Karate Kid” (1984), “Wax on. Wax off. Breathe in through nose, out the mouth. Wax on. Wax off. Don’t forget to breathe. Very important, Daniel-San“.

É o que se pede a todos os Sportiguistas. Wax on, wax off.

Para terminar, apenas uma breve palavra para a Selecção Nacional. Grande vitória ontem, estamos a um passinho do Brasil. 3ª feira é a doer. ‘Bora, tugas!

Anúncio Publicitário